OMS recomenda remédio chinês contra malária

Um remédio comercializado por uma empresa chinesa foi incluído pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a primeira opção para o tratamento de urgência da malária, informou nesta quarta-feira a agência estatal Xinhua.Até o momento, é o único produto chinês aprovado pela OMS paratratar a malária."Nossa intenção não é obter lucros exorbitantes. Queremos que osmais pobres possam comprar nosso remédio", disse Yan Xiaohua, chefeexecutivo e porta-voz da Companhia Farmacêutica Guilin.O preço das injeções na África, a região mais afetada peladoença, será 40% menor que o dos remédios comercializados porlaboratórios farmacêuticos ocidentais, segundo Yan.O produto inclui na sua composição a artemisina, princípioderivado de uma variedade da artemísia que cresce principalmente naChina e no Vietnã. A substância tem demonstrado ser uma das maiseficientes contra a malária.Há um mês, um catedrático da Universidade China de Cantão, no suldo país, anunciou também ter descoberto um tratamento de baixo custocontra a malária, que faz efeito em apenas 24 horas e já recebeu apermissão de comercialização no país.A malária é a infecção parasitária com maior número de vítimaspor ano. De 300 milhões a 500 milhões de pessoas são afetadas pela doença,80% delas na África subsaariana. A doença é responsável por cerca de20% da mortalidade infantil na região.

Agencia Estado,

02 de agosto de 2006 | 18h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.