Ouattara diz que segurança e economia são prioridades

O presidente da Costa do Marfim, Alassane Ouattara, disse nesta quarta-feira estar buscando o restabelecimento da segurança e da atividade econômica no país após cinco meses de sangrentos combates com seu rival Laurent Gbagbo.

ANGE ABOA, REUTERS

13 de abril de 2011 | 11h35

Segundo ele, está tudo certo para retomar imediatamente as exportações de cacau, principal fonte de renda externa do estado do norte africano. Agências do Banco Central local devem reabrir na semana que vem depois de ficarem fechadas durante meses, abrindo caminho para os bancos particulares fazerem o mesmo.

"Espero que, talvez no início da semana que vem, o Banco Central esteja funcionando pelo menos em sua sede," disse Ouattara em coletiva de imprensa.

"Pedi que Abidjan receba francos CFA por carregamento aéreo, portanto na semana que vem as notas estarão disponíveis no Banco Central para que os bancos possam completar seus estoques," declarou.

Ouattara disse também ter assinado uma ordem para que as exportações de cacau sejam retomadas imediatamente.

"O porto está sob controle, nomeei um diretor interino para o porto. Tudo está pronto para que o cacau seja enviado," afirmou.

O presidente eleito disse que pedirá ao Tribunal Penal Internacional que investigue os relatos de massacres desde que a luta pelo poder começou depois da eleição de novembro, cujos resultados chancelados pela ONU o apontaram como vencedor mas foram rejeitados por Gbagbo.

(Reportagem adicional de Bate Feliz, em Dacar)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.