Papa pede que fiéis não percam a confiança

Na celebração da Vigília de Páscoa, Francisco fez uma homilia coloquial; o pontífice disse que não se deve temer as surpresas de Deus

JOSÉ MARIA MAYRINK, O Estado de S.Paulo

31 de março de 2013 | 02h01

O papa Francisco afirmou, ontem à noite, na celebração da Vigília Pascal, na Basílica de São Pedro, no Vaticano, que ninguém deve temer as surpresas de Deus, pois não há pecado que ele deixe de perdoar. Ao comentar a ressurreição de Jesus, numa homilia coloquial de dez minutos, o papa disse que não se deve pensar em Cristo como um personagem do passado, porque ele vive no presente e se projeta no futuro da humanidade.

"Se até agora, você está longe dele (de Jesus), dê um pequeno passo: ele o acolherá de braços abertos. Se você é indiferente, tente arriscar e não vai se decepcionar. Se lhe parece difícil segui-lo, não tenha medo, confie nele, tenha certeza de que ele está próximo de você, está com você e lhe dará a paz que procura e a força para viver como ele quer", afirmou Francisco.

O papa aconselhou os fiéis a não perder a confiança em Deus, quando se sentirem cansados, desiludidos e tristes, sob o peso dos pecados, porque não há situação que Deus não possa mudar. "Não há pecado que não possa perdoar, se recorremos a ele", afirmou o papa.

A cerimônia da Vigília Pascal ou Missa da Ressurreição se iniciou às 20h30 (16h30 no Brasil) e durou duas horas e meia, 30 minutos menos que o tradicional, porque o papa mandou encurtar as leituras. Cantada em latim pelo coral da Capela Sistina, a celebração reuniu cerca de dez mil fiéis, 30 cardeais e centenas de bispos e padres.

Batismo. A bênção do Fogo Novo para acender o Círio Pascal, símbolo de vida e da ressurreição de Jesus, iniciou os ritos da Vigília, no adro da Basílica de São Pedro. Em seguida, o papa caminhou em procissão até o Altar da Confissão, no centro da igreja. Após a liturgia da Palavra - leituras de trechos da Bíblia - celebrou-se a liturgia batismal.

O papa Francisco batizou e crismou quarto rapazes, de 17 a 30 anos, que depois também receberam a primeira comunhão. Acompanhados de seus padrinhos e madrinhas, eram um albanês, um italiano, um russo e um norte-americano.

Francisco parecia muito feliz de administrar os sacramentos aos jovens adultos, que abraçou e beijou no rosto.

Às 10h15 de hoje, horário de verão na Itália (5h15 no Brasil), o papa Francisco celebrará outra missa solene na Praça de São Pedro. Chegará de papamóvel e percorrerá as passarelas entre os peregrinos e fiéis de Roma, antes de se dirigir ao altar, no adro da igreja. Ao final da cerimônia, dará a bênção Urbi et Orbi (a Roma e ao Mundo).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.