Pará critica prefeito de Manaus por 'discriminação'

O governo do Pará reagiu com indignação ao que chamou, em nota, de "discriminação" contra uma paraense pelo prefeito de Manaus, Amazonino Mendes, que, ontem, ao discutir com uma moradora de área em risco de desabamento pediu que ela morresse e ao saber a origem dela sentenciou: "então está explicado". Segundo o governo, o prefeito mostrou, ante um problema social, "desequilíbrio e destempero" ao ofender a moradora, deixando transparecer que todo o problema reside no fato de a mesma ser paraense.

CARLOS MENDES, Agência Estado

22 de fevereiro de 2011 | 19h37

A nota considera inaceitável que, em qualquer circunstância, um ser humano sofra discriminação de qualquer espécie, ainda mais de autoridade pública eleita pelo povo. Para o governo, a atitude de Mendes não reflete o pensamento da maioria dos manauaras e amazonenses, que convivem há séculos e "historicamente lutam bravamente com os seus vizinhos amazônidas" por uma sociedade mais justa e fraterna e por uma Amazônia "respeitada nacional e internacionalmente".

Por fim, a nota salienta que muitos paraenses migraram para Manaus em busca de uma vida melhor. Como é fato também que muitos amazonenses foram para o Pará, fazendo companhia aos irmãos de outros Estados, em busca de um futuro melhor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.