Polícia monta esquema para escoltar 16 presos do PCC

Acusados de tráfico e associação ao tráfico foram levados a Franca para participar de audiência

Brás Henrique, O Estado de S.Paulo

25 Setembro 2008 | 18h55

Um forte esquema de segurança foi montado pela Polícia Civil nesta quinta-feira, 25, em Franca, na região de Ribeirão Preto, para escoltar 16 presos ligados ao Primeiro Comando da Capital (PCC) que participaram de uma audiência diante do juiz da 2ª Vara Criminal, Wagner Carvalho Lima. A quadrilha foi indiciada por tráfico e associação ao tráfico. Veja também:Em 2 meses, CV e PCC negociaram R$ 7 milhões em drogas Cerca de 50 policiais civis - uma parte fardada e outra à paisana - transferiram os presos de presídios de sete cidades do Estado. O bando, que também teria participado dos ataques às forças de segurança pública em 14 de maio de 2006, começou a ser desmontado em outubro de 2007. O delegado assistente da Seccional de Franca, Wanir José da Silveira Júnior, comandou a operação que começou há alguns dias, com as transferências dos presos para a Cadeia da Guanabara, para que nesta quinta seguissem ao Fórum. Para que a audiência de instrução fosse realizada sem problemas, com o juiz ouvindo os acusados e dezenas de testemunhas, o trânsito nas imediações do prédio foi interrompido. Em outubro de 2007 a Polícia Civil já investigava a quadrilha de traficantes e um dos integrantes foi preso na praça de pedágio de Restinga, na Rodovia Cândido Portinari, com 50 quilos de maconha, num táxi.  No mesmo dia, outros três homens foram detidos. Bruno Alves de Souza, o Brunão, que cumpre pena em Presidente Venceslau, em Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), estaria comando as operações de tráfico da prisão. Após a audiência, que ainda estava em andamento no começo da noite, todos os detentos seriam conduzidos novamente para seus presídios de origem, segundo Silveira Júnior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.