Porto Rico manifesta desejo de mudança em status político

Os porto-riquenhos se manifestaram num referendo consultivo a favor de alterar o status da ilha como território associado dos Estados Unidos, preferindo se tornar o 51o Estado norte-americano, segundo resultados oficiais divulgados nesta quarta-feira.

Reuters

07 de novembro de 2012 | 19h46

Na mesma votação, o governador Luis Fortuno, favorável ao status de Estado, foi derrotado na tentativa de reeleição.

O referendo de terça-feira apresentou duas perguntas.

A primeira era se Porto Rico deve manter seu status atual de comunidade autônoma (quase 54 por cento disseram que não). Sob esse status, porto-riquenhos são considerados cidadãos dos Estados Unidos, mas não podem votar para presidente, e só mantêm um representante sem direito a voto na Câmara dos Deputados.

A segunda pergunta pedia que o eleitor, independentemente da resposta à primeira pergunta, optasse entre três possibilidades: virar um Estado dos Estados Unidos, se tornar um país independente ou ter uma associação livre e soberana com os Estados Unidos.

A opção pelo Estado venceu com 66 por cento dos votos, seguida pela associação soberana, com 33 por cento. A independência teve menos de 6 por cento das preferências. Essa contagem não leva em conta os votos em branco, que foram quase um terço do total. Levando-os em conta, o apoio à incorporação total fica com quase 45 por cento de apoio.

O referendo não tem força de lei - é apenas consultivo. Sua convocação teve o apoio de Fortuno, do Novo Partido Progressista.

Na quarta-feira, ele admitiu a derrota na disputa pelo governo da ilha para o senador Alejandro García Padilla, do Partido Democrático Popular, favorável à livre associação com Washington.

Com 96 por cento dos votos apurados, García Padilla tinha 47,85 por cento dos votos, contra 47,04 por cento de Fortuno. Os principais desafios do novo governador serão restabelecer o equilíbrio fiscal, promover a retomada do crescimento, reduzir o desemprego e combater a criminalidade.

Os EUA conquistaram Porto Rico, então colônia espanhola, numa guerra em 1898. Em 1952, a ilha foi elevada ao status de comunidade com governo autônomo, e desde então em quatro ocasiões o eleitorado local se manifestou por manter essa situação - embora com uma margem cada vez menor.

Qualquer alteração no status de Porto Rico precisa ser aprovada pelo Congresso dos EUA.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAELEICOESPORTORICOSTATUS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.