Prédio da Unesp será recuperado

SOROCABA - A direção da Universidade Estadual Paulista (Unesp), câmpus de Botucatu, discute hoje a reforma do prédio da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, parcialmente destruído anteontem por um incêndio.

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

02 Maio 2012 | 03h05

A estimativa inicial, segundo o vice-diretor da faculdade, José Paes de Almeida Nogueira Pinto, é de que o prejuízo seja de R$ 500 mil.

As chamas destruíram completamente duas salas, incluindo a da vice-diretoria, e um laboratório. Uma vistoria técnica vai definir se outras dependências também foram afetadas pelo fogo. Já se sabe que o incêndio comprometeu as instalações elétricas do prédio.

Também será feito um levantamento dos danos imateriais causados pelo incêndio, como a perda de material científico. Arquivos de pesquisas, teses de mestrado e relatórios de trabalho de campo produzidos nas últimas três décadas estavam em papel ou em computadores. A documentação foi consumida pelas chamas.

Busca. Ontem, apesar do feriado, funcionários fizeram uma busca nas salas incendiadas na tentativa de salvar documentos e objetos. Também foi iniciada a limpeza do local, trabalho que deve prosseguir hoje.

O diretor da faculdade, Luiz Carlos Vulcano, disse que a ala incendiada tinha passado por uma reforma recentemente e as instalações eram novas. A perícia do Instituto de Criminalística (IC), que pode apontar as causas do incêndio, deve ficar pronta na próxima semana.

Logo após o combate às chamas, os bombeiros que trabalhavam no local levantaram a hipótese de o incêndio ter sido causado por um curto-circuito no sistema elétrico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.