Prefeito de Paris quer lei para construir arranha-céus; veja

Proposta contraria legislação que prevê construções de no máximo 12 andares.

Daniela Fernandes, BBC

30 de novembro de 2007 | 11h50

O prefeito de Paris, Bertrand Delanoë, pretende mudar uma lei para permitir a construção de prédios com mais de 12 andares na capital francesa.Delanoë, candidato à reeleição em março do ano que vem, lançou recentemente um projeto que prevê a construção de prédios com dezenas de andares em três áreas da capital francesa. Para isso, terá de alterar a legislação que impede a construção de prédios com mais de 37 metros de altura na cidade, o equivalente a 12 andares, prevista no chamado Plano Local de Urbanismo, de 1975.A pedido do prefeito, onze escritórios de arquitetura de diferentes países europeus elaboraram projetos de prédios de inúmeros andares, alguns com mais de cem metros de altura.Os arranha-céus seriam construídos em três regiões periféricas no norte e sudeste de Paris, em aréas próximas a estradas que ligam a capital aos subúrbios e que, segundo Delanoë, estão praticamente "abandonadas". O prefeito socialista ganhou o apoio do presidente Nicolas Sarkozy. Mas ao endossar a iniciativa, Sarkozy contrariou vereadores de seu partido, o UMP, que já se manifestaram contra a proposta. "É preciso ter ambição em termos arquitetônicos. É preciso sair desse debate absurdo sobre a altura dos prédios em Paris. Se as torres são feias, não são necessárias. Se elas são belas, são necessárias", afirmou Sarkozy.A iniciativa, no entanto, não conta com o apoio da população parisiense, que já se declarou contrária à construção de torres na cidade, em uma consulta popular realizada em 2003. Muitos parisienses não apreciam a Torre Montparnasse, o prédio mais alto da cidade, com 56 andares e 210 metros de altura, construída no início da década de 70.O prefeito de Paris defende que os novos prédios dariam um "novo valor" aos bairros, permitindo o desenvolvimento desses locais. Os projetos prevêem que as instalações abriguem escritórios, lojas e apartamentos. Espaços verdes também estão previstos."Esses projetos devem aliar estética a exigências ambientais. Os prédios com altura elevada permitem liberar a área do solo para a criação de outros espaços, como áreas de lazer, que vão animar a vida do bairro", argumenta o prefeito, que prefere evitar a palavra "torre".Entre os onze projetos arquitetônicos apresentados recentemente, os que mais atraíram a atenção de Delanoë foram os da aréa de Masséna, no 13° distrito de Paris. Para esse local, a arquiteta Anne Damiens apresentou a torre mais alta de todos os projetos: 210 metros, altura equivalente à da Torre Montparnasse. No caso dos prédios destinados à habitação, o projeto da prefeitura estabelece que a altura máxima não ultrapasse 50 metros.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.