Presidente do Conlutas quer propor greve geral neste ano

O presidente do CSP Conlutas, José Maria de Almeida, o Zé Maria, afirmou que caso o governo não atenda as reivindicações das centrais sindicais ele vai propor para as demais entidades a convocação de uma greve geral ainda este ano. "Se (o governo) não ouvir o próximo passo é a convocação de uma greve geral", disse.

CARLA ARAÚJO, Agência Estado

11 de julho de 2013 | 14h41

Questionado se a falta de adesão dos metroviários, categoria ligada ao Conlutas, enfraqueceu o dia de protestos, Zé Maria disse que "obviamente era para ser melhor". "Mas as mobilizações de hoje superou as expectativas", ponderou. O sindicalista explicou que a não adesão dos metroviários se explica pois a categoria ainda está ressentida com as retaliações à greve que realizou em 2007.

O secretario geral da UGT, Caninde Pegado, ao discursar para o público, reforçou a ideia da Conlutas de convocar uma greve geral no futuro. "É só assim que eles vão ouvir", disse. Perguntando se a adesão ao movimento hoje está satisfatória, ele afirmou que "dado ao curto espaço de tempo que foi convocada a mobilização está boa". Pegado disse também "que não se pode levar em conta apenas a Avenida Paulista". Às 14h30, a avenida permanecia fechada por manifestantes nos dois sentidos.

Mais conteúdo sobre:
protestosSPConlutasgreve geral

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.