Queda de avião no Sudão mata ao menos 31, incluindo ministro

Pelo menos 31 pessoas, incluindo ao menos um ministro sudanês, morreram na queda de um avião que os levava a um festival islâmico no sul do país, informaram uma autoridade e a mídia estatal neste domingo.

Reuters

19 de agosto de 2012 | 10h11

A aeronave caiu numa área montanhosa nos arredores de Talodi, cidade do estado fronteiriço de Kordofan do Sul, enquanto levava uma delegação do governo para tomar parte no festival que marca o fim do mês sagrado do Ramadã, informou a agência estatal de notícias Suna.

De acordo com a emissora, 26 passageiros morreram, incluindo o ministro de Orientação e Doações (assuntos religosos), Ghazi al-Sadeq.

Um porta-voz da aviação civil, Abdel Hafiz Abdel Rahim, disse à Reuters que 31 pessoas morreram no acidente, incluindo a tripulação, mas não dispunha de detalhes sobre a identidade delas.

A TV árabe por satélite Al Jazeera informou que dois ministros estavam a bordo. A emissora não divulgou seus nomes e acrescentou que integrantes do setor de segurança e uma equipe da imprensa também faleceram na queda da aeronave.

A notícia não especificava se o avião pertencia à companhia estatal Sudan Airways ou a outra empresa.

Nos últimos anos houve vários acidentes envolvendo a Sudan Airways, companhia afetada por anos de sanções dos Estados Unidos e outros problemas.

Um porta-voz do principal grupo rebelde atuando na área, o Movimento do Norte pela Liberação do Povo do Sudão, disse não ter nenhuma relação com a queda do avião.

(Reportagem de Khalid Abdelaziz e Alexander Dziadosz)

Mais conteúdo sobre:
SUDAOAVIAOMINISTRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.