Repressão a drogas na China atinge celebridades

O aprofundamento do esforço da China para reprimir o uso de drogas envolveu uma série de celebridades recentemente, entre elas o filho do ator Jackie Chan, enquanto o governo intensifica uma campanha contra a extravagância e a decadência.

REUTERS

19 Agosto 2014 | 12h29

O presidente chinês, Xi Jinping, prometeu combater a corrupção e os excessos na elite, grande fonte de descontentamento público à medida que a distância entre ricos e pobres vai se ampliando.

O ator e cantor Jaycee Chan, de 32 anos, foi preso em Pequim depois de ser flagrado em um teste por consumo de maconha, e a polícia encontrou 100 gramas da droga em sua casa.

A polícia também prendeu o astro de cinema taiwanês Ko Chen-tung, de 23 anos, novamente por consumo de maconha, relatou a agência estatal de notícias Xinhua.

Chan e Ko foram detidos no centro de Pequim depois que a polícia recebeu uma dica dos moradores, segundo o jornal estatal Global Times.

O uso de drogas na China, especialmente drogas sintéticas e metanfetamina, quetamina e ecstasy, aumento na mesma proporção do surgimento de uma nova classe urbana com renda disponível maior.

Xi clamou por um expurgo das chamadas “quatro práticas”: tradicionalismo, burocracia, hedonismo e extravagância. Em junho ele disse que o país irá “reprimir duramente” os narcóticos, informou a mídia estatal.

A empresa que administra a carreira de Jackie Chan, M’Stones International Corp, emitiu um comunicado em nome de Jaycee dizendo estar a seu lado.

Crimes relacionados a drogas recebem sentenças severas na China, incluindo prisão perpétua e pena de morte em casos graves.

O astro de filmes de ação e de comédia Jackie Chan, de 60 anos, serviu como embaixador da boa vontade do Comitê Nacional Antidroga da China em 2009, relatou a mídia governamental, estimulando a educação contra os entorpecentes.

A China deteve mais de 7.800 suspeitos em casos relacionados a drogas este ano, um aumento de 72 por cento em relação ao ano passado, afirmou a Xinhua.

A mídia estatal se refere frequentemente ao uso de drogas como uma forma de corrupção moral que prejudica a sociedade. A China vinha tendo sucesso em conter a disseminação das drogas, especialmente o ópio, desde que o Partido Comunista ascendeu ao poder em 1949, mas os últimos anos testemunharam um ressurgimento no consumo.

Nos últimos meses o país deteve uma série de celebridades de segundo escalão acusadas de uso de drogas, casos que foram amplamente divulgados nas mídias estatal e social, entre eles astros de cinema e TV, diretores de cinema e um proeminente roteirista.

 (Por Megha Rajagopalan em Pequim e Twinnie Siu em Hong Kong)

Mais conteúdo sobre:
CHINACELEBRIDADESDROGAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.