Roberto Carlos prepara o retorno ao Brasil

Lateral está de saída do Fenerbahçe, mas não entrega seu destino. Corinthians está de olho no lateral

Valéria Zukeran, O Estadao de S.Paulo

22 de novembro de 2009 | 00h00

Roberto Carlos está de malas prontas para iniciar a aventura de voltar ao futebol nacional depois de quase 15 anos fora. "Segunda (amanhã) ou terça-feira devo estar desembarcando em São Paulo", anunciava o lateral na tarde de sexta-feira, por telefone, ao Estado. Para o jogador, faltava apenas um último encontro com o presidente do Fenerbahçe para uma despedida e assinatura dos documentos de rescisão de contrato - meras formalidades de uma negociação bastante adiantada.

O lateral não confirma sua transferência para o Corinthians. Diz não descartar a possibilidade de atuar no Santos, embora nos bastidores do Parque São Jorge há quem garanta que o negócio já está fechado, faltando apenas o encerramento do Campeonato Brasileiro para torná-lo público. Roberto Carlos seria a atração de um pacotão de fim de ano. "O que posso dizer, por enquanto, é que quero jogar em um clube de ponta do futebol brasileiro."

O terreno para a volta, segundo ele, vem sendo preparado há algum tempo. "Tenho conversado com o Edu Dracena - para saber como estão as coisas no Santos - além do Maldonado e do Ronaldo, gente com quem joguei aqui na Europa", revela. "Também acompanho quase todos jogos do Campeonato Brasileiro que passam na TV."

Roberto Carlos admite que, apesar de experiente, o retorno está mexendo com o lado emocional. "Não diria que é uma preocupação, mas estou ansioso." A readaptação ao futebol nacional, segundo ele, será o grande desafio nos primeiros meses após o retorno. "Fiquei muito tempo fora. Quando fui da Itália para a Espanha e depois da Espanha para a Turquia levei mais ou menos um mês para pegar o jeito. Imagino que no Brasil isso não será diferente."

O lateral diz que, financeiramente, a troca do futebol europeu pelo paulista não será vantajosa. "Mas nos anos que joguei na Europa acumulei o suficiente para ter uma vida tranquila. Lógico que vou ganhar menos no Brasil, mas também não vou atuar de graça", pondera. "O fato é que a situação no Brasil, em geral, está boa. Times como Corinthians pagam em dia, o Santos também... Pelo que sei, as empresas que tem contratos com atletas vêm cumprido os compromissos. "

O plano de Roberto Carlos é firmar um contrato de parceria nos moldes do que Ronaldo tem com o Corinthians. "Vou ganhar meu dinheiro, mas também vou ajudar meus amigos a ganhar. Eu levaria um ou dois patrocinadores de alto nível para o clube e poderia ter parte na publicidade", explica.

Segundo seu empresário, Fabiano Farah, o mesmo do Fenômeno, o clube pagaria uma parte do salário e as empresas, o outro. Os contatos nesse sentido já estão em estágio adiantado. Se tudo sair como o planejado, o projeto de Roberto Carlos é atuar por mais quatro anos nesse esquema. Como hoje tem 36 anos, penduraria as chuteiras só aos 40. Só resta saber se terá fôlego para tanto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.