Surra em Goiânia faz São Paulo despencar para 4.º

Time fica distante do hepta e briga, na última rodada, até por vaga na Libertadores

Giuliander Carpes, O Estadao de S.Paulo

30 de novembro de 2009 | 00h00

O capitão Rogério Ceni previu: se vencesse o Goiás, o São Paulo seria campeão. Agora, se perdesse, o título ficaria praticamente impossível. Infelizmente para os são-paulinos a segunda possibilidade se confirmou e o quarto troféu seguido da equipe no Campeonato Brasileiro acabou mais longe. Os goianos venceram por 4 a 2, no Serra Dourada, e ajudaram o Flamengo a chegar à liderança na última rodada. O Tricolor paulista caiu para a quarta colocação.

"Ficou mais difícil, mas nunca foi fácil. Tudo pode acontecer ainda", disse Hernanes, tentando encontrar motivação depois da derrota. "Vamos jogar o último jogo (diante do Sport, no Morumbi) e ver no que dá. Em futebol, tudo é possível."

O dia em Goiânia amanheceu ensolarado, cheio de são-paulinos confiantes nas ruas. Minutos antes de a partida começar, porém, nuvens negras se acumularam sobre o Serra Dourada. Mau sinal.

Os torcedores do São Paulo encheram o estádio, empunharam nas arquibancadas a quarta estrela do título. Só saberiam que a taça estaria distante depois de verem um jogo inesquecível - em todos os sentidos. Ricardo Gomes tinha desfalques, mas acreditava no conjunto.

Parecia que seria suficiente quando, depois de uma cobrança de escanteio, aos 15 minutos, surgiu o primeiro gol do São Paulo. Washington aproveitou rebote de Harlei. Poderia ser o gol do título. Não foi.

O São Paulo tinha o domínio da partida, mas tomou um golpe seis minutos depois. O lateral-direito Vitor fez bela jogada individual e acertou um chute certeiro no ângulo direito de Rogério Ceni. Um baque para a equipe paulista.

Rithelly marcou o gol da virada aos 37 minutos. A decepção tomou conta dos são-paulinos, que foram para o vestiário, no intervalo, incrédulos. "Fizemos o gol e demos uma caída", lamentou Washington.

O pior ainda estava por vir. Fernandão marcou o terceiro aos 21 do segundo tempo. O São Paulo, mesmo abatido, não desistiu. Washington deu alento de novo, aos 25, ao fazer 3 a 2, mas Léo Lima enterrou o São Paulo apenas um minuto depois: 4 a 2. Fim do sonho tricolor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.