Tarso concede refúgio político a italiano Cesare Battisti

Ministro da Justiça se baseou no "fundado temor de perseguição por opinião política"

REUTERS

13 Janeiro 2009 | 21h58

O ministro da Justiça, Tarso Genro, concedeu nesta terça-feira, 13, refúgio político ao italiano Cesare Battisti, cuja extradição era reivindicada pela Itália. A decisão de Tarso Genro se baseou no "fundado temor de perseguição por opinião política", já que a Itália reconhece esta conotação, pois a sentença de Battisti aponta crime de associação subversiva, "com a finalidade de subverter o sistema econômico e social do país", diz o site do Ministério da Justiça. Battisti, 52 anos, foi condenado à prisão perpétua por duas sentenças. No pedido de extradição, a Itália alega quatro homicídios que Battisti teria cometido entre 1977 e 1979. A condenação de Battisti na Itália ocorreu depois de sua fuga para a França, em 1981. O presidente François Mitterand acolheu italianos sob a condição de que abandonassem a luta armada. Battisti foi condenado com base em testemunho do delator premiado Pietro Mutti, seu companheiro de organização, e não em provas periciais. Battisti deixou a França depois que sua condição de refugiado foi revogada na gestão do presidente Jacques Chirac. Ele veio para o Brasil, onde está preso desde 2007. Ainda não há data para sua saída da prisão. (Texto de Mair Pena Neto)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.