Tarso confia em indicação à candidatura no RS na sexta-feira

O ministro da Justiça, Tarso Genro, está confiante em que será indicado nessa sexta-feira na convenção do PT como candidato do partido ao governo do Rio Grande do Sul na eleição de 2010.

REUTERS

16 Julho 2009 | 14h42

Segundo Tarso, seu nome tem apoio de 70 por cento dos delegados do partido e será "oferecido" aos aliados no Estado para a formação de uma ampla coligação. O ministro acrescentou que o PT vai buscar apoio em partidos como PDT, PCdoB PSB e PTB".

"Eventualmente, posso ser candidato no Rio Grande do Sul. Essa eventualidade decorre de que amanhã temos a convenção e, provavelmente, vou ser indicado com 70 por cento dos delegados que já foram eleitos", disse Tarso a jornalistas, após participar de evento no Palácio da Cidade, sede da prefeitura do Rio de Janeiro.

"Vamos oferecer o nome para os nossos aliados e mostrar que esse é o nome para a unidade política e progressista do Rio Grande do Sul", afirmou.

Tarso avalia que o Rio Grande do Sul se encontra em um estado de "letargia econômica e social" sob o comando da governadora Yeda Crusius (PSDB), mas não acredita que as denúncias de irregularidades administrativas contra a tucana possam fortalecer uma candidatura oposicionista.

"É uma crise política que precisa de explicações técnicas. Não vejo que essa crise deva ser aproveitada no debate eleitoral e não acho que fortalece meu nome", afirmou.

Tarso segue sua determinação, apesar de a direção da legenda ter decidido privilegiar a formação de uma coligação nacional para sustentar a candidatura à Presidência da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. A formatação das chapas regionais, pela resolução do PT, ficaria em segundo plano.

O PT governou o Rio Grande do Sul com Olivio Dutra (1999-2002) e Tarso saiu derrotado em duas tentativas de comandar o Estado. Ele foi prefeito de Porto Alegre por duas vezes.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

Mais conteúdo sobre:
POLITICA TARSO CANDIDATO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.