TJ-RJ pede transferência de supostos líderes de facção

A Justiça do Rio de Janeiro determinou hoje que os cinco supostos líderes do Comando Vermelho presos ontem na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Manguinhos, zona norte da cidade, sejam transferidos imediatamente para presídios federais. O objetivo é dificultar a comunicação desse grupo, preso em Bangu 1, na zona oeste do Rio, com os demais integrantes da facção criminosa.

FÁBIO GRELLET, Agência Estado

11 de agosto de 2011 | 19h03

Estão presos o traficante Marcelo da Silva Soares, o Macarrão; Magno Fernando Soeiro de Souza, o Magno da Mangueira; Jorge Alexandre Cândido Maria, o Sombra; Rodrigo Barbosa Marinho, o Rolinha; e Marcelo Bastos Fernandes, o Ratinho.

A transferência depende agora da Secretaria Estadual de Segurança, responsável por verificar a disponibilidade de vagas e transportar os presos. Além dos cinco, outros dois acusados de integrar a facção também serão transferidos: Lúcio Mauro dos Passos, o Biscoito, e Celso Pimenta, o Playboy.

"A transferência já foi determinada, mas ainda não sabemos quando ocorrerá, porque dependemos de vagas em algum dos quatro presídios federais", disse o desembargador Manoel Alberto dos Santos, presidente do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ). Os sete acusados devem viajar juntos em avião da Polícia Federal ou da Força Aérea. Por segurança, não será divulgado horário nem data das transferências, mas a expectativa do TJ-RJ é que elas ocorram amanhã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.