Trabalhadores falam em reajuste de 24%

Os trabalhadores argentinos devem reivindicar aumentos salariais de 22% a 24% em 2010, segundo projeções de líderes sindicais. Os empresários consideram que os reajustes não poderão exceder os 20% para não pôr em risco a recuperação econômica. "Com projeções de inflação que chegam a 20%, ninguém vai aceitar menos que 22%", disse um dirigente da Confederação Geral do Trabalho (CGT), liderada por Hugo Moyano, um dos principais braços de apoio ao governo. As estimativas de crescimento econômico variam de 3% a 5%, e de inflação anual, entre 17% a 20%, segundo diferentes consultorias.

, O Estadao de S.Paulo

29 Dezembro 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.