Um ninho de pombos, feito com arame

Diante da falta de gravetos, casal de pombos da espécie asa-branca usou material 'alternativo'

Fernanda Yoneya, O Estado de S.Paulo

23 Dezembro 2009 | 00h38

Diante da escassez de material vegetal, um casal de pombos da espécie asa-branca encontrou uma maneira curiosa para construir seu ninho, em um condomínio residencial de luxo em Atibaia (SP). Aos poucos gravetos encontrados no ninho, o esperto casal "costurou" pedaços de arame usado para a amarração de ferragens de construção, fios elétricos e até clipes de prender papel e, assim, garantiu, no alto de uma árvore, um "lar" seguro para a família.

"O casal de pássaros deu um testemunho sobre o acerto das teorias de Charles Darwin, que estava certo ao afirmar que não são os mais fortes ou belos que sobrevivem, mas aqueles que se adaptam às condições do ambiente", diz o ornitólogo Johan Dalgas Frisch, que coletou o ninho no condomínio, após uma forte chuva ter derrubado algumas árvores.

Ele conta que recebeu uma ligação dos moradores informando sobre o ninho inusitado. "Todos ficaram perplexos ao verificar a estrutura do ninho, caprichosamente costurado pelas aves. Colegas americanos, franceses e dinamarqueses confirmam que as aves voam dezenas de quilômetros para buscar alimento para os filhotes, mas para construir o ninho usam o material encontrada em seu território."

Há alguns anos esta espécie de pomba só era encontrada em campos, na caatinga, cerrado e em áreas rurais. Mas, recentemente, por causa do desmatamento, a asa-branca tem conquistado espaço no ambiente urbano, explica Frisch.

CASO AMERICANO

Um caso ocorrido no Estado americano da Luisiana, em outubro, reforçou a teoria do ornitólogo. O jornal Nature Society News publicou, em outubro, fotografia que mostrava um ninho de andorinhas-azuis feito com cem pregos, três parafusos, cinco pedaços de fios metálicos, um lápis e até uma presilha de cabelo "tic-tac". "Os filhotes de andorinha foram criados, literalmente, em uma cama de pregos", diz Frisch, que se surpreendeu com a história ao receber o jornal.

"Tanto o casal de andorinhas, nos EUA, quanto o de pombos asa-branca, no Brasil, construíram ninhos sem precedentes, em uma demonstração de inteligência e instinto de sobrevivência."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.