Universidade expulsa falso médico foragido no Rio

A universidade Unigranrio, na Baixada Fluminense, decidiu expulsar o estudante de Medicina que teve a prisão decretada por envolvimento na morte de uma menina de 5 anos, no dia 13 agosto. Alex Sandro Cardoso trabalhava ilegalmente no hospital onde ela foi atendida e não frequenta as aulas desde que foi chamado pela polícia para prestar depoimento sobre o caso.

BRUNO BOGHOSSIAN, Agência Estado

16 de setembro de 2010 | 19h23

O falso médico teve a prisão decretada há um mês, mas está foragido. O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro negou esta semana um pedido de habeas corpus para o estudante. A pediatra que contratou Alex Sandro está presa.

A Unigranrio considerou as denúncias gravíssimas e informou que tentou entrar em contato com o estudante antes de tomar a decisão, que será ratificada hoje pelo reitor. Joanna Cardoso Marcenal Marins foi atendida em dois hospitais, em julho, depois de sofrer convulsões e foi internada em uma terceira clínica no dia 19 do mesmo mês. A menina morreu depois de 26 dias em coma. A guarda da garota era disputada pelos pais da criança e há suspeitas de que ela tenha sido vítima de maus tratos antes de ser internada.

Tudo o que sabemos sobre:
mortegarotafalso médicoRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.