Vale não vê problema em dar baixa em ativos que não performam

O diretor financeiro da Vale, Luciano Siani, disse nesta terça-feira que a companhia não vê problema em dar baixa no balanço em ativos que não estão tendo boa performance.

Reuters

29 de janeiro de 2013 | 19h15

Ele fez o comentário em conferência com investidores, quando falava sobre o projeto de potássio Rio Colorado, na Argentina, onde as obras estão paralisadas.

"Não temos nenhum problema em baixar no balanço ativos", disse Siani em evento com investidores no Rio de Janeiro.

A empresa prorrogou o recesso de fim de ano dos trabalhadores de Rio Colorado enquanto analisa variações nos fundamentos econômicos do projeto. Não há prazo para as obras serem retomadas.

Enquanto isso, a província argentina de Mendoza exigiu na semana passada que a mineradora reinicie os trabalhos no bilionário projeto sob ameaça de revogar a concessão.

O projeto de Rio Colorado tem investimentos totais previstos de cerca de 6 bilhões de dólares, com mais de 1 bilhão de dólares já executados.

A declaração de Siani foi feita após a empresa, no final do ano passado, ter revisado ativos de níquel e de alumínio, provocando uma redução de valor contábil de 4,2 bilhões de dólares, com efeito no quarto trimestre de 2012.

As baixas anunciadas ao final do ano não afetam o fluxo de caixa a empresa, mas devem levar a Vale a apresentar um prejuízo no quarto trimestre, o primeiro em 10 anos, segundo avaliaram bancos e corretoras na época.

(Por Leila Coimbra e Jeb Blount)

Mais conteúdo sobre:
MINERACAOVALEBAIXA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.