WWF: Proteção da natureza e das espécies reduz pobreza

Proteger a natureza e as espécies ameaçadas de extinção reduz a pobreza e melhora as condições de vida das comunidades rurais, afirma um relatório do Fundo Mundial para a Natureza (WWF) divulgado nesta segunda-feira.Estas conclusões são o resultado de vários estudos feitos pela organização ecológica na Costa Rica, Nepal, Uganda, Índia, Namíbia e China, e que aparecem no documento.O texto explica que a proteção dos animais ajuda a erradicar a pobreza e a fome, assim como a promover o desenvolvimento sustentável e justo nas áreas rurais.A conservação e a gestão sustentada das espécies e de seu habitat permite proteger as florestas, a água dos mananciais e as áreas marinhas, afirma o relatório.Como conseqüência disso, as pessoas pobres que vivem nessas zonas rurais não só se beneficiarão de maior renda e acesso aos bens e serviços - como água, saúde e educação -, mas também terão avanços no âmbito dos direitos, por exemplo, das mulheres."Em muitos casos, os problemas que ameaçam as espécies, como a redução do número de habitantes e o desaparecimento dos recursos naturais, são os mesmos que contribuem para criar pobreza", disse Susan Lieberman, diretora do programa global das espécies da entidade suíça.O WWF também explicou que o ecoturismo baseado na proteção das espécies ameaçadas, como o gorila na China, gera grandes benefícios, que são utilizados pelas comunidades para planejar de forma sustentável o uso das terras.O documento cita, assim, o exemplo da localidade de Tortuguero, no Caribe costarriquenho, onde as medidas de proteção das tartarugas verdes, uma das maiores espécies do mundo e a maior da América, se traduziram nos últimos 30 anos por um aumento do número desses animais e dos turistas que querem vê-los.Da mesma forma, a população de Farida, na Índia, viu diminuir de forma significativa o número de habitantes que viviam abaixo da linha de pobreza, após a aplicação de um programa de conservação dos golfinhos que vivem nas águas do Ganges.Por ocasião da oitava reunião das partes da Convenção sobre Diversidade Biológica, que acontecerá de 20 a 31 de março em Curitiba, o WWF também pediu aos governos que façam parte da proteção das espécies ameaçadas no combate à pobreza."Parece ilógico dedicar milhões de dólares para reduzir a pobreza e promover o desenvolvimento econômico sustentável sem levar em conta os vínculos entre o desenvolvimento sustentável, o bem-estar do meio ambiente e a conservação das espécies", lamentou Lieberman.

Agencia Estado,

20 de março de 2006 | 17h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.