PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Notícias e artigos do mundo do Direito: a rotina da Polícia, Ministério Público e Tribunais

Desembargadores do Maranhão receberam até R$ 172 mil em dezembro

Todos os magistrados de segunda instância ganharam mais do que os ministros do Supremo Tribunal Federal; Corte afirma que holerites mais elevados são ‘extraordinários‘ em decorrência de abonos concedidos no mês

Foto do author Rayssa Motta
Por Rayssa Motta
Atualização:
Todos os desembargadores do Tribunal de Justiça do Maranhão receberam remunerações acima do teto em dezembro de 2023. Foto: Google Streetview

Todos os 34 desembargadores do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA) receberam subsídios acima do teto em dezembro.

PUBLICIDADE

Procurada pelo Estadão, a Corte informou que os holerites mais elevados são “extraordinários” em decorrência de abonos concedidos no mês (leia a íntegra no final da matéria) A reportagem também procurou a Associação de Magistrados do Estado, que ainda não se manifestou.

O contracheque mais alto, do desembargador Cleones Carvalho Cunha, foi de R$ 172 mil. Com os descontos, ele recebeu R$ 116 mil no apagar das luzes de 2023.

Outros 16 desembargadores tiveram holerites acima de R$ 100 mil em valores brutos.

A Constituição limita o subsídio do funcionalismo público ao que ganha um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), o que hoje corresponde a R$ 41.650,92, mas magistrados recebem auxílios que não entram no cálculo.

Publicidade

Verbas indenizatórias (como auxílios para transporte, alimentação, moradia e saúde) e vantagens eventuais (como 13º salário, reembolso por férias atrasadas e eventuais serviços extraordinários prestados) são contados fora do teto, abrindo caminho para os chamados “supersalários”.

Outro fator que infla os contracheques é a venda de férias. Magistrados têm direito a 60 dias de descanso remunerado por ano - fora o recesso de fim de ano e feriados. É comum que eles usem apenas 30 dias, sob argumento de excesso e acúmulo de ações. Mais tarde passam a receber esse “estoque”, a título de indenização de férias não gozadas a seu tempo.

Todos os pagamentos à toga estão previstos expressamente na Lei Orgânica da Magistratura, nos Regimentos Internos dos tribunais e em legislações.

Os valores dos holerites estão disponíveis para consulta no Portal da Transparência do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão que administra e fiscaliza o Poder Judiciário. Todos os magistrados estaduais listados receberam mais do que os ministros do STF em dezembro.

Veja quanto recebeu cada desembargador:

COM A PALAVRA, O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO MARANHÃO

Publicidade

Os valores mencionados correspondem, em grande parte, a abonos, indenizações de férias e licenças prêmio, os quais, comumente, são concedidos no mês de dezembro, em virtude do período tradicional de férias em janeiro. Esse cenário contribui para a elevação das remunerações dos magistrados durante esse intervalo anual.

Ainda, ressaltamos que tais remunerações estão em conformidade com a Lei Orgânica da Magistratura, a qual prevê a concessão desses benefícios.

Os valores mais elevados não configuram uma prática ordinária, mas, sim, algo extraordinário devido à concessão desses abonos, caracterizando-se, portanto, como gastos eventuais.

Tanto os valores extraordinários quanto os ordinários estão disponíveis para consulta no Portal da Transparência, atualizado periodicamente a fim de garantir, efetivamente, a integridade no judiciário do Maranhão.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.