PUBLICIDADE

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Coluna do Estadão

| Por Roseann Kennedy

Roseann Kennedy traz os bastidores da política e da economia, com Eduardo Gayer e Augusto Tenório

Deputado do MDB se apresenta como ‘candidato do agro’ para eventual vaga de Sergio Moro

Sergio Souza entrou na lista dos interessados na cadeira do ex-juiz da Lava Jato, que será julgado e pode perder o mandato; caso seja condenado, haverá eleição suplementar no Paraná

Foto do author Gabriel de Sousa
Por Gabriel de Sousa

Cresce a lista dos candidatos a disputar o espólio do senador Sérgio Moro (União-PR), que corre o risco de ter o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR). Senador entre 2011 e 2014, o deputado federal Sergio Souza (MDB-PR) é mais um dos interessados na cadeira do ex-juiz da Lava Jato e já se lança como “o representante do agronegócio”, se houver uma eleição suplementar.

O deputado Sérgio Souza (MDB-PR) Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

PUBLICIDADE

Em entrevista à Coluna, Sergio Souza disse que o seu diferencial entre os cotados para a disputa é uma “interlocução afinada” com representantes do agro. Além disso, Souza exaltou o apoio que tem do presidente do MDB, deputado Baleia Rossi (SP).

“Nenhum dos candidatos tem uma intimidade e um conhecimento do setor agropecuário como eu tenho. Então, eu me colocaria como candidato que é apoiado pelo MDB, Baleia Rossi e pelo setor agropecuário”, afirmou Souza à Coluna.

O deputado se junta a outros concorrentes na possível eleição suplementar. Nas fileiras do PT, já manifestaram interesse pelo cargo de Moro a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, e o também deputado Zeca Dirceu. Foi graças a Gleisi que Sergio Souza ocupou uma vaga no Senado entre 2011 e 2014. O deputado federal foi primeiro suplente da presidente do PT e a substituiu na Casa quando ela chefiou o Ministério da Casa Civil no governo da então presidente Dilma Rousseff.

O ex-ministro da Saúde Ricardo Barros (PP) e o ex-deputado Paulo Martins (PL) são outros dois nomes de olho na cadeira do senador. Além de todos esses, a família Requião cobiça o lugar do ex-juiz da Lava Jato.

Publicidade

O ex-governador Roberto Requião (PT) já manifestou interesse em disputar a eleição suplementar e estuda migrar para o PRD, legenda nova, que nasceu da fusão entre o PTB e o Patriota. O deputado estadual Requião Filho (PT) chegou a ser cotado, mas não tem a mesma liberdade que o pai para trocar de sigla.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.