EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Coluna do Estadão

| Por Roseann Kennedy

Roseann Kennedy traz os bastidores da política e da economia, com Eduardo Gayer e Augusto Tenório

Entidade judaica vai denunciar Paulo Nogueira Batista Jr. por antissemitismo

Economista voltou a atacar o presidente do BID, Ilan Goldfajn, com argumento de domínio do ‘lobby judaico’; a Coluna procurou Paulo Nogueira mas não obteve resposta

PUBLICIDADE

Foto do author Roseann Kennedy
Por Roseann Kennedy
Atualização:

A Confederação Israelita do Brasil (Conib) vai denunciar no Ministério Público Federal o economista Paulo Nogueira Batista Jr. com acusação de antissemitismo, após ele usar as redes sociais para fazer novas críticas ao presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Ilan Goldfajn. Paulo Nogueira chamou Ilan de “nulidade” e disse que ele foi indicado para presidir o BID com apoio do “lobby judaico”.

O economista fez a manifestação em cima de uma postagem feita pelo presidente do BID durante a COP -28. “Uma das razões de o Brasil ainda ser atrasado é prestigiar nulidades como esta, um israelense-brasileiro que foi indicado peço governo Bolsonaro para presidir o BID com apoio do Tesouro dos Estados Unidos e do lobby judaico. Vazio no conteúdo e ridículo na forma”, disse.

Paulo Nogueira Batista Jr. Foto: Iliya Pitalev/Brics Photohost - 18/6/2015

PUBLICIDADE

A Conib condenou a declaração e ressaltou que não é o primeiro ataque. “Na falta de argumentos, o reincidente Paulo Nogueira Batista Jr. faz uso de antigo libelo antissemita de dominação do mundo pelo “lobby judaico” para atacar um dos mais renomados economistas brasileiros. Paulo Nogueira, entre outras manifestações de intolerância, ainda fez em suas redes comparação entre o símbolo judaico da estrela de David e a suástica nazista. Contra esse seu discurso de ódio reiterado, foi requerida investigação”, diz a nota da Conib, antecipada à Coluna.

“Queremos que o Ministério Público apure o antissemitismo contra o Ilan e contra a comunidade judaica também. Ele postou símbolo nazista. Então não é só contra o Ilan, é contra o geral”, afirmou à Coluna o vice-presidente da Conib, Daniel Bialski.

O Centro de Debate de Políticas Públicas (CDDP) também divulgou nota. Ressaltou que, há pouco menos de um ano, já havia se manifestado sobre situação semelhante envolvendo as declarações de Paulo Nogueira Batista Jr. contra Ilan Goldfajn. “À época nos surpreendemos com a utilização de argumentos de cunho antissemita”, lembrou. “Adjetivar uma pessoa assim como nulidade sugere apenas o desejo de ofender. Igualmente grave é a repetição da postura antissemita, ao insistir no ‘lobby judaico’, ecoando as acusações dos Protocolos dos Sábios de Sião, notório panfleto apócrifo antissemita que serviu de inspiração para Adolf Hitler, e flertar com o mito do ‘judeu sem pátria’”.

Publicidade

No texto, o CDPP também pede que as autoridades tomem medidas cabíveis para proteger as vítimas dessas agressões e punir os responsáveis.

Paulo Nogueira Batista Júnior foi diretor-executivo no FMI, em Washington, por indicação do ministro Guido Mantega, e vice-presidente do NBD, o banco dos BRICS, por indicação do Governo Dilma Rousseff

A Coluna tentou contato com Paulo, mas não obteve resposta. Também não foi possível falar com Ilan Goldfajn.