EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Coluna do Estadão

| Por Roseann Kennedy

Roseann Kennedy traz os bastidores da política e da economia, com Eduardo Gayer e Augusto Tenório

Fávaro dá sinal verde a projeto com regras para aumentar mistura de biodiesel no diesel

Representantes do setor e parlamentares estiveram com o ministro nesta quarta-feira

PUBLICIDADE

Foto do author Augusto Tenório
Por Augusto Tenório
Atualização:

O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro (PSD), deu sinal verde para o projeto do “combustível do futuro”, que propõe medidas para impulsionar o desenvolvimento e a utilização do biodiesel. Parlamentares e representantes do setor produtivo se encontraram com o ministro nesta quarta-feira, 28, e entregaram um manifesto em defesa do relatório apresentado pelo deputado Arnaldo Jardim (Cidadania-SP), que prevê um cronograma anual para adição de um ponto porcentual da mistura de 15% projetada para março de 2026 até chegar a 20% em 2030.

O grupo foi capitaneado pelo deputado Alceu Moreira (MDB-RS), presidente da Frente Parlamentar Mista do Biodiesel (FPBio), e argumentou com o ministro que a mistura poderia beneficiar o agronegócio porque a produção de biodiesel daria vazão à produção excessiva de soja no Brasil e ainda valorizaria essa commodity. De acordo com os parlamentares, o ministro se comprometeu a trabalhar pela aprovação do projeto junto às demais áreas do governo.

O deputado Alceu Moreira (MDB-RS) e o ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro (PSD) Foto: Ascom/Mapa

PUBLICIDADE

O manifesto afirma que o projeto “representa um marco significativo na busca por soluções energéticas mais sustentáveis e diversificadas, alinhadas com os desafios contemporâneos e as demandas por uma matriz energética mais limpa e eficiente”.

Entre as entidades que assinam o documento, estão: a União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio), a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a Associação Brasileira dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja), a Associação Brasileira de Resíduos e Meio Ambiente (Abrema), a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) e a Associação dos Produtores de Biocombustíveis do Brasil (Aprobio). A expectativa do setor e dos parlamentares é que a proposta seja votada na próxima semana na Câmara.

Confira o manifesto, na íntegra:

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.