PUBLICIDADE

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Coluna do Estadão

| Por Roseann Kennedy

Roseann Kennedy traz os bastidores da política e da economia, com Eduardo Gayer e Augusto Tenório

Governo Lula contrata crise com municípios em ano eleitoral com nova ‘lambança’ sobre desoneração

Confederação Nacional dos Municípios prepara mobilização para 6 de março, véspera do início da janela partidária, momento decisivo nas articulações políticas; caciques políticos também entraram na briga com o Planalto; o governo publicou MP para retomar a desoneração da folha de pagamento de 17 setores, mas não alterou o regime das prefeituras

Foto do author Roseann Kennedy
Por Roseann Kennedy

As idas e vindas do governo Lula sobre a desoneração da folha de pagamento de 17 setores provocaram uma crise com prefeitos de todo o País, ontem, tensionando o ambiente de articulações para as eleições de 2024. O governo publicou medida provisória derrubando a reoneração no setor privado, mas deixou as gestões municipais de fora, ou seja, sem desconto na alíquota previdenciária, de 20% para 8%.

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) reagiu imediatamente e convocou mobilização para 6 de março, véspera do início da janela partidária. O período permite que vereadores troquem de partido sem perder o mandato, e as tratativas para essas mudanças envolvem conversas para as formações das chapas que disputarão os cargos de prefeito e vice.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao lado do ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT). Foto: WILTON JUNIOR / ESTADÃO

PUBLICIDADE

Caciques da política nacional cobraram do Planalto a reabertura de diálogo. De Minas, estado que mais tem municípios no País, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), abriu a sessão, ontem, exigindo uma solução do governo. O mineiro tem pretensões políticas para 2026 e vai deve se colocar como o interlocutor entre as gestões municipais e o ministro Fernando Haddad.

O relator do projeto de desoneração, senador Angelo Coronel (BA), responsável por incluir na proposta o benefício para a prefeituras, reclamou. Ele também é do PSD de Pacheco e de Gilberto Kassab, que tem como meta para este ano manter o partido com o maior número de prefeitos no Brasil.

O relator do projeto de desoneração, senador Angelo Coronel (BA), responsável por incluir na proposta o benefício para a prefeituras, reclamou. Ele também é do PSD de Pacheco e de Gilberto Kassab, que tem como meta para este ano manter o partido com o maior número de prefeitos no Brasil.

Publicidade