EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Coluna do Estadão

| Por Roseann Kennedy

Roseann Kennedy traz os bastidores da política e da economia, com Eduardo Gayer e Augusto Tenório

PT escala ministros para acelerar pré-campanha à Prefeitura de Belo Horizonte

Partido quer largar na frente no campo de esquerda

PUBLICIDADE

Foto do author Augusto Tenório
Por Augusto Tenório

O PT pediu reforço de ministros como Alexandre Padilha (Relações Institucionais), Silvio Almeida (Direitos Humanos) e Paulo Pimenta (Secom) para o lançamento da pré-campanha do deputado Rogério Correia à Prefeitura de Belo Horizonte. No dia 12 de dezembro, o partido vai lançar o movimento BH Pode Mais, que visa atrair para Correia, o quanto antes, o eleitorado de esquerda e centro-esquerda na capital mineira. Esse segmento também será disputado com a deputada federal Duda Salabert, que é pré-candidata pelo PDT.

O deputado Rogério Correia (PT-MG) Foto: Zeca Ribeiro

PUBLICIDADE

Nesta quinta, 23, o PT de Belo Horizonte organizou um evento para discutir a mobilidade urbana. Correia, inclusive, convidou o colega de Câmara, Jilmar Tatto (PT-SP), para participar. Além de ser uma das lideranças nacionais do partido, Tatto é autor do projeto de lei Tarifa Zero (que garante passe livre em ônibus) e ex-secretário municipal de Transportes de São Paulo.

Belo Horizonte vive um cenário incerto de candidaturas. O atual prefeito, Fuad Noman (PSD), ainda não confirmou se tentará a reeleição. Se decidir disputar, Noman buscará apoio do petista, pois PSD e PT formam aliança nacional no governo Lula e há expectativa de uma disputa polarizada em 2024.

Em 2020, a polarização não foi protagonista em Belo Horizonte porque o então prefeito, Alexandre Kalil (PSD), disputava a reeleição com apoio de partidos de esquerda à direita. O PL de Bolsonaro, porém, se fortaleceu em Minas Gerais nas eleições de 2022. O partido deve lançar a candidatura do deputado estadual Bruno Engler.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.