PUBLICIDADE

Críticos de Bolsonaro ironizam erro de grafia em perfil do presidente: ‘Sírio de Nazaré’

Em visita ao Pará, candidato à reeleição escreve o nome da procissão incorretamente; ‘é um falso religioso’, disse Flávio Dino

PUBLICIDADE

Foto do author Levy Teles
Por Levy Teles
Atualização:

Críticos do presidente Jair Bolsonaro (PL) usaram as redes sociais para ironizar um erro de grafia em publicação no perfil do chefe do Executivo federal no Instagram. O candidato à reeleição, que visita o Pará neste sábado, 8, para acompanhar o Círio de Nazaré, escreveu “Sírio de Nazaré” ao publicar uma foto acompanhando a procissão.

“Ei, Bolsonaro! Sei que você não conhece nada sobre o país que ‘governa’, mas pelo menos deveria saber escrever o nome da maior manifestação religiosa do mundo. Sua ignorância e desrespeito com a Amazônia está cada dia mais evidente. Tenha respeito com a devoção dos cristãos”, escreveu o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) no Twitter.

O presidente acompanhou pela manhã, ao lado das deputadas federais Bia Kicis (PL-DF) e Carla Zambelli (PL-SP), a romaria fluvial do Círio de Nazaré. Foto: Instagram/Biakicis

“Sírio é quem nasce na Síria. Círio de Nazaré. É que digo: é um falso religioso, que nada conhece da fé cristã e nunca leu a Bíblia”, publicou o ex-governador do Maranhão Flávio Dino (PSB) na mesma rede social. O perfil de Bolsonaro corrigiu o erro alguns minutos depois.

PUBLICIDADE

O presidente acompanhou pela manhã, ao lado das deputadas federais Bia Kicis (PL-DF) e Carla Zambelli (PL-SP), a romaria fluvial — uma das 13 procissões que integram o Círio de Nazaré, que retornou à atividade depois das restrições causadas pela pandemia de covid-19 — em um dos rios de Belém, capital paraense.

A presença de Bolsonaro rendeu críticas do governador do Estado, Helder Barbalho (MDB). “O Círio de Nazaré é algo absolutamente intocável, algo que nenhum político tem o direito de se apropriar”, afirmou. Barbalho anunciou apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no segundo turno da eleição presidencial.

Em participação até então tímida, o presidente acompanhou a romaria dentro da corveta da Marinha Garnier Sampaio e saiu logo depois em uma embarcação menor.


Arquidiocese de Belém nega convite a qualquer autoridade

Por meio de nota publicada ontem, 07, a Arquidiocese de Belém negou ter enviado convite ao presidente Jair Bolsonaro ou a “qualquer autoridade seja em nível municipal, estadual ou federal”. A entidade afirma que o Círio de Nazaré é um evento religioso da Igreja Católica e que deve ser observada a liberdade de participação por toda comunidade. “Todavia, não desejamos e nem permitimos qualquer utilização de caráter político ou partidário das atividades do Círio”, ressalta.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.