PUBLICIDADE

Lula diz que se pudesse ia fazer decreto para proibir mentira: ‘Quem mentir, vai ser preso’

Presidente afirmou que foi preso pelo que chamou de a ‘maior mentira já contada neste País’, em referência à Operação Lava Jato; Lula participou de evento do setor agropecuário em Campo Grande (MS)

PUBLICIDADE

Foto do author Karina Ferreira
Por Karina Ferreira

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse nesta sexta-feira, 12, que, se pudesse, faria um decreto para que as pessoas que mentissem fossem presas. “Eu se pudesse ia fazer um decreto: é proibido mentir. Quem mentir, vai ser preso. Porque a gente não pode viver subordinado à mentira, a gente não pode viver subordinado à maldade, à intriga”, disse o presidente.

De acordo com Lula, as pessoas, por viverem conectadas demais aos celulares, estão se desconectando entre si. “Nós nascemos para viver com muita solidariedade entre nós. Quando isso desaparece, a mentira ganha destaque”, concluiu.

PUBLICIDADE

Lula fez a declaração em evento do setor agropecuário em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. Acompanhado dos ministros Carlos Fávaro, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e Simone Tebet, do Planejamento, o presidente visitou novas plantas frigoríficas da JBS e participou do ato simbólico do envio das primeiras carnes produzidas nas instalações para a China. Também estiveram presentes o governador Eduardo Riedel (PSDB), deputados federais do Estado e o embaixador chinês no Brasil, Zhu Qingqiao.

“Não é possível você governar um país do tamanho do Brasil, com 203 milhões de habitantes, com mentiras. Mentira tem perna curta, é questão de tempo. Uma hora, ela aparece”, disse o presidente, antes de citar feitos de crescimento econômico do seu terceiro mandato.

Presidente Lula durante visita à planta frigorífica em Campo Grande (MS), ao lado da ministra do Planejamento, Simone Tebet, do ministro da Agricultura, Carlos Fávaro e do embaixador chinês no Brasil, Zhu Qingqiao Foto: Ricardo Stuckert/PR

Lula também falou do tempo que esteve preso, decorrente da “maior mentira já contada neste País”, segundo ele. A prisão coincidiu com a visita de representantes chineses ao frigorífico da JBS em 2018, local onde o presidente discursou nesta manhã. “Eu estava preso na Polícia Federal, por conta da maior mentira já contada neste País, que a história se encarregará de provar”, disse o presidente se referindo à Operação Lava Jato.

Além de celebrar a parceria comercial com a China, Lula também falou da importância da qualificação profissional para o desenvolvimento econômico do País e sobre a obrigação do Estado em oferecer oportunidades à população. O presidente disse que, apesar de ter o discurso impresso, por ser pequeno, falaria no improviso. Outras vezes que ele fez discursos no improviso, acabou cometendo gafes que repercutiram na internet.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.