PUBLICIDADE

Paulo Teixeira diz que situação está ‘pacificada’, após exoneração de primo de Arthur Lira no Incra

À CNN, ministro do Desenvolvimento Agrário avaliou cenário após primo do presidente da Câmara dos Deputados ser exonerado do Incra

PUBLICIDADE

Foto do author Rafaela  Ferreira
Foto do author Julia Camim
Por Rafaela Ferreira e Julia Camim

BRASÍLIA - O ministro do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira, disse, à CNN, que situação com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), já está “pacificada”. Na última terça-feira, 16, o ministro havia exonerado Wilson César de Lira Santos, primo do deputado, do cargo de superintendente regional de Alagoas no Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

PUBLICIDADE

César Lira foi nomeado para o órgão em 2017, durante governo de Michel Temer (MDB) e, com apadrinhamento do presidente da Câmara, permaneceu no cargo durante a gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). A decisão ocorreu após cobranças do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), que considerava César um “bolsonarista raiz”.

A decisão foi publicada no Diário Oficial da União, na terça-feira, 16, que ainda dispensou Andressa Torres do cargo de substituta, nomeando José Ubiratan Rezende Santana para a Superintendência Regional da autarquia, nome indicado pelo MST. Para cargo antes ocupado por César, o presidente da Câmara já indicou um novo nome.

Ministro do Desenvolvimento Agrário a Agricultura Familiar, Paulo Teixeira Foto: WILTON JUNIOR/Estadão

Segundo Incra, exoneração do primo de Arthur Lira se tratou de “uma troca de cargo de confiança que já estava prevista na gestão da autarquia”. Já o ministério disse que o cargo exige “articulação com os movimentos e a adequação das ações do governo federal para as necessidades dos trabalhadores do campo e das bases da reforma agrária”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.