PUBLICIDADE

Casos de síndrome respiratória grave por covid têm alta em 16 Estados, aponta Fiocruz

Boletim destacou crescimento nos registros após período de queda. Em São Paulo, alta alcança todas as faixas etárias

Foto do author Roberta Jansen
Por Roberta Jansen

Novo boletim InfoGripe Fiocruz divulgado nesta sexta-feira, 3, aponta um aumento de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por covid-19, depois de um período de queda. O crescimento é significativo sobretudo em São Paulo, onde alcança todas as faixas etárias. Os dados têm como base a semana epidemiológica 8, de 19 a 25 de fevereiro, período que abrange o carnaval.

PUBLICIDADE

O coordenador do InfoGripe, Marcelo Gomes, reforçou a importância da adesão à campanha de vacinação iniciada nesta semana. Gomes ressaltou que, no caso dos grupos prioritários, o reforço vacinal nesta fase de crescimento dos casos de covid-19 é crucial para evitar que uma possível infecção se transforme em casos graves e mortes. Na maioria dos estados, o aumento ocorre entre os mais idosos.

“O sinal que se inicia na população idosa é um reflexo de que o vírus pode estar ganhando força novamente, aumentando sua transmissão”, disse.

Vacina bivalente contra a covid-19 começou a ser aplicada nesta semana em São Paulo Foto: Tiago Queiroz/Estadão - 27.02.2023

A tendência, segundo ele, é que o vírus chegue às demais faixas etárias nas próximas semanas. Gomes defendeu o uso de máscara como forma de prevenção a despeito da decisão da Anvisa, da última quarta-feira, de suspender a obrigatoriedade do uso de máscaras em aeroportos e aeronaves.

“É uma questão puramente física: boas máscaras, que se ajustam bem ao nosso rosto e têm uma filtragem adequada do ar, são uma barreira para a passagem do vírus”, afirmou. “Usando boas máscaras, um indivíduo saudável não se expõe à absorção de vírus que estão no ambiente.”

Das 27 unidades da federação, 16 apresentam crescimento de casos de SRAG nas últimas seis semanas: Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Pará, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Roraima, Santa Catarina e São Paulo. No Amazonas e em São Paulo, o aumento ocorre em praticamente todas as faixas etárias.

Dezoito das 27 capitais apresentam sinal de crescimento no mesmo período: Aracaju (SE), Belém (PA), Boa Vista (RR), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Goiânia (GO), Macapá (AP), Maceió (AL), Manaus (AM), Palmas (TO), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), São Luiz (MA), São Paulo (SP) e Teresina (PI).

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.