PUBLICIDADE

8 mil garrafas de vinho contrabandeadas são apreendidas; bebida era vendida pela metade do preço

Homem foi preso, mas pagou fiança de R$ 50 mil e foi liberado; vinhos não eram submetidos ao controle sanitário

Por Fabio Grellet

Oito mil garrafas de vinho foram apreendidas pela Polícia Federal nesta quarta-feira, 20, em Macaé, no norte fluminense, durante a Operação Estáfilo, de combate ao comércio de bebidas contrabandeadas no Estado do Rio. A carga ainda será avaliada pela Receita Federal para estimativa de valores.

Segundo as investigações, conduzidas pela Delegacia da Polícia Federal em Macaé, os vinhos ingressavam irregularmente no Brasil, sem a chancela e o controle do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Por isso, eram vendidos em média pela metade do preço de mercado, afirma a PF.

PF fez ação para combater o contrabando de vinhos: foram apreendidos R$ 32,8 mil em dinheiro e R$ 1 milhão em cheques Foto: Polícia Federal/Divulgação

PUBLICIDADE

Os agentes cumpriram cinco mandados de busca e apreensão em endereços residenciais e comerciais em Macaé. As ordens foram expedidas pela 2.ª Vara Federal de Campos dos Goytacazes, na mesma região do Estado. Além das garrafas de vinho, também foram apreendidos R$ 32,8 mil em dinheiro e 19 cheques, que somam R$ 1 milhão. Os agentes também recolheram documentos e telefones celulares.

Um homem foi preso em flagrante acusado pelo crime de descaminho, que é o desvio de mercadoria para evitar a tributação. O homem foi liberado após o pagamento de fiança no valor de R$ 50 mil. Seu nome não foi divulgado. Ele também será investigado por contrabando.

Na mitologia grega, Estáfilo, que dá nome à operação, era um dos filhos de Dionisio, o Deus do Vinho.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.