PUBLICIDADE

Armas usadas em troca de tiros entre pai e filho em Mato Grosso eram ilegais, diz polícia

Confronto deixou ambos mortos nesta semana em Querência. Caso está sob investigação policial

Por Rariane Costa

A Polícia Civil de Mato Grosso identificou como ilegais as armas utilizadas por Reomar Pozena, de 47 anos, e seu filho Mateus Pozena, de 25 anos, que trocaram tiros na última quarta-feira, 7, em Querência, zona rural do Estado.

PUBLICIDADE

O episódio ocorreu após uma discussão entre pai e filho, culminando em uma troca de tiros que levou ambos à morte. O crime foi registrado como duplo homicídio doloso, e, sem testemunhas, permanece sob investigação da Polícia.

Além das espingardas calibres 12 e 28, foram encontradas outras cinco armas na residência da família. Todas estavam em situação irregular, duas delas registradas em nome de Reomar Pozena, mas os documentos estavam vencidos.

Delegacia de Querência investiga o caso Foto: Polícia Civil

A Polícia Civil informou que Mateus Pozena, o filho, já tinha um histórico policial registrado na delegacia do município com uma ocorrência por lesão corporal enquadrada no âmbito da violência doméstica.

O delegado Dyonis Zanotelli, responsável pelo caso, afirmou que as investigações continuam em busca de informações que possam esclarecer a motivação por trás do confronto.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.