Banco dos Brics, chefiado por Dilma, vai liberar R$ 5,7 bilhões em empréstimos ao Rio Grande do Sul

Anúncio foi feito pela ex-presidente nas redes sociais. Verba será voltada a obras de infraestrutura urbana, saneamento e proteção ambiental, além da prevenção de desastres

PUBLICIDADE

Foto do author Eduardo Rodrigues
Por Eduardo Rodrigues
Atualização:

BRASÍLIA - A ex-presidente Dilma Rousseff anunciou nas redes sociais que o Novo Banco de Desenvolvimento (NDB, na sigla em inglês) - mais conhecido como Banco dos Brics - irá liberar R$ 5,750 bilhões em empréstimos para o Rio Grande do Sul. O montante, equivalente a US$ 1,115 bilhão, deverá ser usado em obras de infraestrutura urbana, saneamento básico e proteção ambiental e de prevenção de desastres no Estado.

“Quero dizer aos gaúchos que podem contar comigo e com o NDB neste momento difícil”, disse Dilma Rousseff, que preside o banco ligado ao grupo geopolítico, com sede em Xangai, China. “Quero reiterar minha solidariedade aos gaúchos e aos governos federal e estadual. O Banco dos Brics tem compromisso e atuará na reconstrução e na recuperação da infraestrutura do Estado. Queremos ajudar as pessoas a reconstruir suas vidas”, completou.

Dilma conversou com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o governador gaúcho, Eduardo Leite, para acertar o repasse. Os recursos chegarão ao Rio Grande do Sul por ação direta e por meio de parcerias com outras instituições financeiras.

PUBLICIDADE

De acordo com detalhamento do NDB, US$ 500 milhões serão repassados via BNDES, sendo US$ 250 milhões para pequenas e médias empresas e US$ 250 milhões para obras de proteção ambiental, infraestrutura, água e tratamento de esgoto, e prevenção de desastres.

Outros US$ 200 milhões estarão disponíveis para aplicação direta, podendo contemplar obras de infraestrutura, vias urbanas, pontes e estradas. Já em parceria com o Banco do Brasil, serão destinados US$ 100 milhões para infraestrutura agrícola, em projetos de armazenagem e infraestrutura logística.

Inundações deixaram submerso trecho da rodovia ERS-448, na altura de Canoas, no Rio Grande do Sul Foto: Nelson Almeida/AFP

Por fim, com o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), serão liberados imediatamente US$ 20 milhões para projetos de desenvolvimento e mobilidade urbana e recursos hídricos. Outros US$ 295 milhões previstos no contrato BRDE, em processo de aprovação final, vão para obras de desenvolvimento urbano e rural, saneamento básico e infraestrutura social.

“Tenho certeza que pela força do povo gaúcho, a solidariedade do povo brasileiro e da comunidade internacional essa crise será superada. E devemos tomar todas as medidas para que ela não mais se repita”, concluiu Dilma.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.