PUBLICIDADE

Bassar faz recall de produtos após suspeita de contaminação em petiscos para pets; entenda

Empresa solicita que consumidores entreguem, nos locais de venda, itens que já tenham adquirido anteriormente

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

A Bassar Pet Food anunciou nesta quarta-feira, 7, que está realizando um recall de todos os produtos comercializados pela marca. A medida ocorre pela suspeita de contaminação de um insumo adquirido de um dos fornecedores da empresa. A Bassar solicita que os consumidores entreguem, nos locais de venda, os itens que já tenham adquirido anteriormente.

No fim da última semana, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento determinou a interdição da fábrica da Bassar Pet Food em Guarulhos (SP) e o recolhimento nacional de todos os lotes de produtos da empresa depois da morte de ao menos nove cachorros em São Paulo e em Minas por suspeita de intoxicação após o consumo de petiscos da marca. Há também casos em investigação em outros Estados, como Goiás.

Milo, de 7 anos, hoje toma medicamento para abrir o apetite, dois remédios para não vomitar, um vitamínico, um para o estômago e corre o risco de se tornar um doente renal crônico; caso é investigado em Goiás Foto: Arquivo pessoal

PUBLICIDADE

A Bassar afirmou em pronunciamento divulgado nesta quarta que exames preliminares realizados pelo Ministério da Agricultura apontaram indícios de que o propilenoglicol, insumo utilizado pelo setor industrial na fabricação de alimentos para humanos e animais, adquirido pela Bassar de um de seus fornecedores, estaria contaminado com etilenoglicol. Trata-se da mesma substância que causou a morte de 10 pessoas que consumiram a cerveja Backer, em 2019.

A decisão pelo recall de todos os produtos foi tomada pela Bassar diante do risco oferecido pela substância. A empresa afirmou que já vinha recolhendo todas as suas linhas do varejo nacional e havia interrompido sua produção na semana passada.

“A Bassar Pet Food é a maior interessada no esclarecimento dos fatos, apoia as investigações do Mapa e das autoridades policiais e está colaborando com as investigações para a elucidação do caso”, afirmou a empresa, em nota (leia íntegra abaixo).

O ofício 424/2022 do Ministério da Agricultura divulgado nesta terça-feira, 6, alerta todas as empresas do setor de alimentação animal que podem ter também adquirido esta matéria-prima desse fornecedor, pertencente a um grande grupo econômico mineiro, para que retirem imediatamente eventuais produtos fabricados e distribuídos ao mercado.

Esclarecimento da rede Petz

Em esclarecimento publicado nesta terça, a rede Petz, uma das principais no nicho, informou que, até o momento, foram realizados laudos periciais em lotes específicos de dois produtos: Bassar Snack Every Day e Bassar Dental Care.

Publicidade

“Sobre o petisco Bassar Snack Every Day, lotes 3201 e 3775, o laudo pericial não apontou a presença de substância tóxica. Sobre o petisco Bassar Dental Care, lote 3467, o laudo pericial apontou a presença de substância Monoetilenoglicol”, afirmou.

“No caso de outros lotes serem submetidos para análise, seguiremos acompanhando para mantê-lo informado. Reforçamos, assim, o alerta de não consumir os produtos em questão fabricados pela Bassar, incluindo o petisco Petz Cuidado Oral.”

A rede informou que, para auxiliar os consumidores, criou um canal de teleorientação com uma equipe especializada de médicos veterinários, para orientar os tutores que adquiriram tais produtos e identificaram algum tipo de alteração na saúde do pet, sobre os protocolos de saúde a serem seguidos: 11 3434-6980.

Leia a nota da Bassar na íntegra

A Bassar Pet Food informa que exames preliminares realizados pelo MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) apontaram indícios de que o propilenoglicol, insumo utilizado pelo setor industrial na fabricação de alimentos para humanos e animais, adquirido pela Bassar Pet Food de um de seus fornecedores, estaria contaminado com etilenoglicol.

PUBLICIDADE

Por isso, a empresa está realizando um recall de todos os seus produtos junto a seus consumidores, solicitando que entreguem no local de venda os itens que já tenham adquirido anteriormente. A Bassar Pet Food já vinha recolhendo todas as suas linhas do varejo nacional e havia interrompido sua produção na semana passada.

O ofício 424/2022 do MAPA, divulgado ontem (6 de setembro), alerta todas as empresas do setor de alimentação animal que podem ter também adquirido esta matéria prima desse fornecedor, pertencente a um grande grupo econômico mineiro, para que retirem imediatamente eventuais produtos fabricados e distribuídos ao mercado.

A Bassar Pet Food é a maior interessada no esclarecimento dos fatos, apoia as investigações do MAPA e das autoridades policiais e está colaborando com as investigações para a elucidação do caso.

Publicidade

Em complemento às investigações oficiais, estão sendo finalizados trabalhos de perícia na Bassar Pet Food em todo o processo de produção e maquinários em sua própria fábrica e de todas as matérias-primas que compõem seus produtos finais, cujas análises preliminares convergem no mesmo sentido do que está sendo apontado pelas autoridades. A empresa reforça que o etilenoglicol não faz parte de nenhuma etapa da sua cadeia de produção.

De modo preventivo, a companhia está retendo em todo território nacional todos os produtos produzidos em sua planta fabril até que os laudos definitivos sejam concluídos.

A Bassar Pet Food se solidariza com todos os tutores de pets – a razão de nossa empresa existir. Os consumidores podem tirar dúvidas pelo e-mail sac@bassarpetfood.com.br.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.