Qual a população da sua e de outras cidades? Consulte o resultado do Censo do IBGE 2022

Dados nacionais foram divulgados pelo instituto nesta quarta-feira. Com 11 milhões de habitantes, São Paulo é a cidade mais populosa do País

PUBLICIDADE

Por Redação
Atualização:
4 min de leitura

Novos dados populacionais foram divulgados nesta quarta-feira, 28, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), baseados na coleta do Censo de 2022. No total, o País ultrapassou a marca de 203 milhões de habitantes, mas registrou o menor ritmo de crescimento de todo o período de análise, que data do fim do século 19.

Com mais de 11 milhões de pessoas, São Paulo é a cidade mais populosa do Brasil. Na outra ponta, Serra da Saudade, com 833 habitantes, é a menos populosa.

Consulte a população da sua cidade

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2010 (data da última contagem) a 2022, a taxa média de crescimento anual da população foi de 0,52% - a primeira abaixo de 1% e a menor registrada desde o primeiro levantamento feito no País, em 1872.

Ritmo de crescimento foi abaixo do projetado pelo IBGE. São Paulo (foto) é a cidade mais populosa do País Foto: Taba Benedicto/Estadão

Os dados revelam também inédito movimento de interiorização da população. Entre as possíveis explicações, estão o avanço do agronegócio, um dos principais motores da economia nos últimos anos, e também as mudanças nas dinâmicas de trabalho, que permitiram o trabalho remoto e menor concentração de mão de obra em grandes centros urbanos.

Continua após a publicidade

Variação da população por município

A população total do País chegou a 203,1 milhões em 2022, bem abaixo dos 214,8 milhões projetados pelo próprio IBGE para o ano passado. Ainda assim, o crescimento é de 6,5%, ante o último censo demográfico, com acréscimo de 12,3 milhões no período.

Até a década de 1940, havia altos níveis de fecundidade e mortalidade, mas avanços na Medicina permitiram que a população vivesse mais. “Com o início da redução dos níveis de mortalidade, a partir de meados dos anos 1940, e a manutenção dos altos níveis de fecundidade, o ritmo do crescimento populacional aumentou”, sustenta o relatório do Censo.

Demógrafo e sociólogo, José Eustáquio Diniz avalia que o Brasil está diante de um grande desafio nos próximos anos, diante do acelerado envelhecimento da população, constatado pelos números do Censo 2022. Com crescimento populacional de 0,5% - o menor registrado em 150 anos -, o País precisa, segundo ele, se apressar para aproveitar as vantagens do bônus demográfico, quando a população economicamente ativa é superior à de crianças e idosos. É essa janela de oportunidade que dá condições de crescimento econômico mais veloz.

Continua após a publicidade

Os primeiros números do Censo 2022 também indicam um substancial crescimento no número de domicílios no País. De um total de 67.569.688 registrados em 2010 (data do censo anterior), o número saltou para 90.688. 021 – um aumento de 34% ou o equivalente a 1/3 do total. Este aumento foi registrado em todos os Estados e no Distrito Federal.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.