PUBLICIDADE

Chuvas no litoral de SP: saiba como ajudar os milhares de afetados pelas inundações e deslizamentos

Poder público e ONGs se organizam para receber e distribuir doações nas cidades afetadas pelas tempestades

Foto do author Renata Okumura
Por Gabriela Forte e Renata Okumura
Atualização:

Enquanto equipes da Defesa Civil trabalham nas buscas e resgate das pessoas afetadas pelas fortes chuvas que atingiram o litoral norte de São Paulo entre a noite de sábado, 18, e a madrugada de domingo, 19, prefeituras e ONGs estão recebendo doações para quem perdeu tudo ou segue isolado por conta das tempestades. Segundo o governo do Estado, as tempestades já deixaram 48 mortos. Atualmente, há mais de 1.730 desalojados e 766 desabrigados em todo Estado.

Em São Sebastião, uma das cidades mais afetadas pelas chuvas intensas, No total, 48 mortes foram confirmadas pelo governo do Estado. Trabalhos de buscas e resgate continuam. Foto: Daniela Andrade/PMSS

Na capital paulista, o Fundo Social do Estado de São Paulo (FUSSP) recolhe doações de alimentos não perecíveis, água mineral e roupas limpas e em bom estado para uso. As entregas podem ser feitas no depósito do FUSSP, na Avenida Marechal Mario Guedes, 301, no Jaguaré, na zona oeste da cidade. O espaço foi aberto na segunda-feira. As doações podem ser feitas entre 8h e 17h.

Doações no Metrô e na CPTM

As empresas ligadas à Secretaria de Transportes Metropolitanos (STM) começaram a receber doações de passageiros para levar ajuda às pessoas desabrigadas e desalojadas pelas fortes chuvas no litoral do Estado. Ao todo, são 193 pontos de arrecadação distribuídos em estações e terminais do sistema metropolitano de transportes.

As principais necessidades são:

  • Alimentos não perecíveis
  • Água mineral
  • Roupas limpas e em bom estado

PUBLICIDADE

A campanha é uma parceria da STM com o Fundo Social de São Paulo, que encaminha os donativos recebidos às cidades atingidas por meio da Defesa Civil.

A Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) tem pontos de arrecadação nas 63 estações que compõem as linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 15-Prata. Já a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU/SP) conta a partir desta quarta-feira, 22, com caixas de arrecadação nos terminais metropolitanos Jabaquara, Diadema, Piraporinha, São Bernardo, Santo André Oeste e Leste e São Mateus. A Estrada de Ferro Campos do Jordão também participa da campanha com um ponto de coleta na estação Emílio Ribas.

“Além disso, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) realiza a campanha De Braços Abertos, que arrecada alimentos não perecíveis, produtos de higiene pessoal e limpeza, roupas e água em todas as 57 estações das linhas 7-Rubi, 10-Turquesa, 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade”, disse o governo estadual. Quem quiser participar, pode doar nas caixas de arrecadação ou procurar os colaboradores da companhia nas estações até o dia 10 de março.

Publicidade

A Linha 4-Amarela, operada pela ViaQuatro, além das linhas 5-Lilás, 8-Diamante e 9-Esmeralda, administradas pela ViaMobilidade, contam com caixas para depósito de doações de água e alimentos não perecíveis em todas as 72 estações. A ação do Grupo CCR ocorre em parceria com a Central Única de Favelas (Cufa).

No litoral paulista

Em Caraguatatuba, o fundo de solidariedade do município também está recebendo doações. Além de roupas, itens de higiene pessoal e alimentos não perecíveis, a demanda mais urgente nesse momento é por material de limpeza, como saco de lixo, desinfetante, cloro, detergente, álcool 70%, sabão em pó, além de esponja, vassoura, rodo, pano de chão. Todos os itens podem ser entregues no Centro Esportivo Ubaldo Gonçalves - Avenida José Herculano, 50.

Em São Sebastião, a mais afetada pelas chuvas intensas, o fundo de solidariedade está recebendo doações de roupas, alimentos, colchões, itens de higiene pessoal e produtos de limpeza, entre outros, para ajudar as famílias e pessoas atingidas pelas chuvas em sua sede, na Rua Capitão Luiz Soares, 33, no Centro, e nas regionais municipais da Secretaria de Serviços Públicos (SESEP).

Para quem não puder levar as doações até o local, o fundo de solidariedade da cidade também está aceitando ajuda em dinheiro via Pix (CNPJ 28.086.952/0001-99) ou por meio de depósito em conta do Banco do Brasil (agência 0715-3 e conta corrente 54708-5, em nome do Fundo Social de Solidariedade).

CONTiNUA APÓS PUBLICIDADE

Mesmo em cidades menos afetadas pela chuva, doações também estão sendo recolhidas pelas prefeituras. Em Ilhabela, a sede do Fundo Social, na Rua Guaiamu, 56 - Perequê, pede doações de colchões, mantas, fogão, materiais de limpeza e produtos de higiene pessoal. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 99932-7150. Já no Guarujá, estão sendo recebidas doações de roupas, produtos de higiene e alimentos não perecíveis no Ginásio Tejereba, no Jardim Tejereba.

Com atuação em São Sebastião desde 2008, o Instituto Verdescola é uma das ONGs que estão trabalhando no recolhimento de doações, como alimentos não perecíveis, água mineral, roupa de cama e banho, produtos de limpeza, roupas para crianças e adultos e produtos de higiene pessoal As doações devem ser entregues na sede do instituto - Avenida Marginal, 44 - Praia Barra do Sahy. Também há possibilidade de doar via Pix pelo email verdescola@verdescola.org.br.

Já a ONG Gerando Falcões lançou uma campanha dedicada a arrecadar fundos para o atendimento as vítimas das chuvas no litoral norte. A organização vai fazer doar uma quantia igual para cada real doado pela sociedade, com limite de R$ 1 milhão, e todos os recursos serão usados para compra de alimentos, roupas, colchões e kits de higiene. A campanha “Tamojunto” recebe doações via Pix, por meio do CNPJ 18.463.148/0001-28.

Publicidade

A Ação da Cidadania está mobilizada para o envio de alimentos, fraldas, colchões e kits de higiene e limpeza para as vítimas. A ONG está em contato com a Defesa Civil e entidades locais para que os donativos sejam entregues assim que os acessos comecem a ser liberados. As doações devem ser feitas através do site ou pelo PIX sos@acaodacidadania.org.br.

Doações em dinheiro

Há duas contas bancárias disponibilizadas pelo Fundo Social para a compra de cestas básicas e cobertores.

Para doar cestas básicas:

Conta Bancária - Banco do Brasil

Agência nº 1897-X

Conta Corrente nº 19.490-5

CNPJ/MF nº 44.111.698-0001/98

Chave Pix: CNPJ/MF nº 44.111.698-0001/98

Publicidade

Para doar cobertores:

Conta Bancária - Banco do Brasil

Agência nº 1897-X

Conta corrente nº 19.771-8

CNPJ/MF nº 44.111.698-0001/98

Chave Pix: doacoesfussp@sp.gov.br

Animais de estimação também estão sendo resgatados no litoral norte de São Paulo e dependem de doações. Foto: Reprodução/Governo do Estado de SP

Doação para animais resgatados

O Grupo de Resgate de Animais em Desastres (GRAD) permanece em São Sebastião realizando o resgate de animais que ficaram presos nos escombros, em casas nas áreas de risco ou fugiram e estão perdidos pela cidade. Até o momento, mais de 50 animais, entre cães e gatos, foram resgatados.

O Fundo Social de São Paulo também arrecada ração e sachê para cães e gatos, vermífugo, antipulgas e tapetes higiênicos.

Publicidade

As doações também podem ser feitas no depósito do FUSSP, localizado na Avenida Marechal Mario Guedes, 301, no Jaguaré, zona oeste da capital paulista, entre 8h e 17h. As doações são encaminhadas às cidades atingidas, pela Defesa Civil.

Fundo Social também recebe doações para animais de estimação. Foto: reprodução/Governo do Estado de SP

Orientações para quem tem animais na região

Em caso de deixar sua casa, leve o seu animal junto: os cães com coleira-guia e os gatos em caixas de transporte. Lembrem-se de levar um pouco de ração.

Já os animais de grande porte, como cavalos, bois e porcos, devem ser levados para locais altos. A Defesa Civil deve ser comunicada sobre a localização e a quantidade de animais, para que, posteriormente, seja realizado o resgate e assistência.

Em relação às aves, como galinhas, devem ser retiradas dos galinheiros. Se não houver outro local seguro para acomodá-las, deixe-as soltas com alimentação.

É recomendável evitar que os animais tenham contato com a água da inundação. Caso isso seja inevitável, faça o possível para eles fiquem o menor tempo na água ou na lama.

Se souber onde há animais precisando de ajuda, informe imediatamente a defesa civil municipal ou o Corpo de Bombeiros.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.