PUBLICIDADE

Colômbia advertiu Brasil 7 vezes sobre presença das Farc, diz jornal

Colômbia teria enviado 43 avisos a 6 países vizinhos desde setembro de 2004.

Por Da BBC Brasil
Atualização:

A Colômbia advertiu seis países vizinhos sobre a possível presença de guerrilheiros das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) ou da existência de ações do grupo em seus territórios 43 vezes desde setembro de 2004, segundo um reportagem publicada no fim de semana pelo jornal colombiano El Tiempo. O Brasil teria recebido sete dessas advertências colombianas, segundo o jornal, que cita como fonte um relatório confidencial preparado pelos serviços de inteligência a pedido da Presidência da Colômbia. O jornal afirma que as advertências - 7 ao Brasil, 4 à Argentina, 2 à Bolívia, 4 ao Peru, 16 ao Equador e 10 à Venezuela - são parte de convênios de cooperação entre órgãos de inteligência, mas não obrigam os demais países a tomarem providências. A presença das Farc nos territórios dos países vizinhos à Colômbia ganhou destaque neste mês com a operação do Exército colombiano que matou um dos principais líderes das Farc, Raúl Reyes, do lado equatoriano da fronteira com a Colômbia. A operação gerou uma grande crise diplomática, levando o Equador e a Venezuela a cortarem relações diplomáticas com a Colômbia e a reforçarem o efetivo militar nas suas fronteiras. Betancourt e Marulanda Segundo o El Tiempo, entre as advertências feitas pelas autoridades colombianas aos países vizinhos estaria uma à Venezuela, datada de 17 de dezembro do ano passado, alertando para a suposta presença em seu território da ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, seqüestrada pela guerrilha desde 2002. Em outra advertência, mais recente, a inteligência colombiana teria avisado a Venezuela sobre a presença no país do fundador e líder máximo das Farc, Manuel Marulanda, conhecido como "Tiro-certo". O jornal afirma ainda que a própria presença de Raúl Reyes em território equatoriano já havia sido objeto de comunicação entre as autoridades de inteligência dos dois países e que em um dos avisos ao Equador as autoridades colombianas dariam a localização exata de 25 bases usadas pelas Farc dentro do território equatoriano. A reportagem afirma, porém, que "apesar dessas advertências, nem a Venezuela nem o Equador responderam positivamente à informação entregue". Segundo o jornal, "80% das advertências foram respondidas com evasivas ou simplesmente não foram levadas em consideração". O jornal não dá detalhes sobre as advertências feitas ao Brasil. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.