PUBLICIDADE

De cada 5 barrados em 2007 na Espanha, 2 eram brasileiros

No total, 97 mil pessoas foram proibidas de entrar no país; policiamento nas fronteiras cresceu em 62%

Por Anelise Infante e da BBC
Atualização:

Segundo estatísticas do aeroporto de Barajas, em Madri, dois em cada cinco barrados na principal porta de entrada na Espanha em 2007 eram brasileiros. Cerca de 55% dos estrangeiros que entram no país passam por Barajas. No controle de fronteiras, ainda segundo os dados oficiais de 2007, 50 pessoas, em média, são impedidas de entrar e devolvidas ao país de origem. Desse total, 20, em média, são brasileiros.   VEJA TAMBÉM Para Lula, deportação de brasileiros é 'eleitoreira' Espanhóis são barrados no Aeroporto Internacional de Salvador   'Me sinto um animal abandonado', diz brasileiro retido em Madri  Saiba como agir se for barrado em aeroporto  Brasil deve adotar medidas contra espanhóis?     Os números, às vezes, superam e muito a média estatística. No dia 3 de agosto de 2007, por exemplo, de 97 imigrantes impedidos de entrar, 66 eram brasileiros. O número de policiais nas fronteiras aumentou em 62% em 2007, mas o Ministério do Interior reconhece que ainda é difícil reduzir a média de mil ilegais que chegam a cada dia ao país, segundo o governo espanhol.   No total, a Espanha barrou 97.715 pessoas em 2007, mas não há números para cada nacionalidade nesse cálculo mais amplo que inclui, por exemplo, via terrestre. De acordo com a Secretaria de Estado para Imigração, a Espanha já tem 4,8 milhões de imigrantes (legais e ilegais), 10% da população. E, pela política em vigor, é preciso fechar o cerco à entrada.   Nesta semana, o impedimento de entrada de brasileiros na Espanha causou uma crise a Espanha e Brasil depois que dois pós-graduandos brasileiros ficaram detidos por mais de uma semana no aeroporto de Madrid. Os estudantes retornaram ao Brasil nesta sexta-feira, 7. No mesmo dia, o governo brasileiro deportou sete espanhóis que desembarcaram em Salvador, na Bahia.   União Européia   O aumento do fluxo de brasileiros tem sido tão significativo que está chamando a atenção de muitas polícias de fronteira da União Européia. "Especialmente nos últimos dois anos. Passou a ser, com os bolivianos, a nacionalidade com mais repatriações no aeroporto de Barajas", disse um policial espanhol do departamento de imigração, lembrando que os imigrantes do Brasil são os segundos entre os mais barrados no país.   A Espanha é uma das três nações (junto a Estados Unidos e Inglaterra) que mais imigrantes expulsam, incluindo devoluções em fronteiras e outros casos de deportações. No início de julho, em uma operação policial conjunta, 509 brasileiros foram barrados em um só dia nos aeroportos de Madri, Lisboa, Paris e Amsterdã.   Para os persistentes, no entanto, ser barrado não significa o fim. O brasileiro L.A.P.G, 26 anos, foi deportado da Europa duas vezes e continua vivendo de forma ilegal em Madri. Ele chegou à Espanha em 2004 através de amigos de Goiânia que já trabalhavam ilegalmente no país. Em 2005 tentou ir para Londres, via Irlanda, e foi barrado no aeroporto britânico.   Como a passagem de volta era para Madri, foi devolvido à Espanha. No aeroporto de Barajas acabou descoberto pela policía por permanência ilegal (o visto de turista, dado na chegada e válido para três meses já havia vencido), teve o passaporte carimbado para expulsão e foi obrigado a deixar o país.   "Não aconteceu nada. Só o susto mesmo. Voltei para o Brasil, joguei o passaporte carimbado de vermelho no lixo, fiz outro e voltei para Madri. Isso é comum. Todos os brasileiros conhecem esse truque", disse L.A.P.G, que trabalha ilegalmente instalando aparelhos de ar condicionado e preferiu ser identificado apenas pelas iniciais.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.