PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Baixe e ouça as principais notícias e análises

A transformação do clima do planeta num caldeirão

Por Gustavo Lopes Alves
Atualização:

A  Argentina enfrenta uma onda de calor descrita como um "domo de calor" por especialistas. A temperatura no Centro e Norte do país permanecerá elevada. A onda de calor também poderá ser sentida em diversas regiões do Brasil. No Rio Grande do Sul, as máximas podem atingir entre 36ºC e 39ºC até a metade da próxima semana.

PUBLICIDADE

O ano de 2023 já foi confirmado como o mais quente já registrado, segundo relatório divulgado nesta terça-feira, 9, pelo observatório europeu Copernicus. A temperatura média no ano passado foi 1,48 ºC mais quente do que na era pré-industrial (meados do século 19), diz a agência.

Este valor é um pouco inferior aos 1,5°C que o mundo havia proposto como limite, no âmbito do Acordo Climático de Paris em 2015, a fim de evitar os efeitos mais graves do aquecimento global. A influência do El Niño, que deve se estender até a metade deste ano, esteve relacionado a eventos extremos, como ciclones extratropicais no Sul e a estiagem acompanhada de queimadas na Amazônia, além das ondas de calor em várias regiões do Brasil.

2024 deve ser ainda mais quente do que o de 2023, segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM), somadas à ocorrência do fenômeno El Niño, de aquecimento das águas do Pacífico, que se estenderá até metade do ano.

No Brasil, além das ondas de calor e elevação das temperaturas, o El Niño pode provocar alteração no regime de chuvas, causando novos eventos de secas e estiagens intensas, sobretudo no Nordeste e no Norte, e chuvas acima do normal no Sul, a exemplo do que já ocorreu em 2023. Além disso, incêndios florestais no Cerrado e na Amazônia podem ocorrer com mais frequência.

Publicidade

Afinal, chegamos ao limite do aumento de temperatura na Terra? Quais os riscos para a população com as ondas de calor? No 'Estadão Notícias' de hoje, vamos conversar sobre o assunto com a mestre em Geografia, doutoranda em Climatologia (UFRGS) e divulgadora científica, Karina Bruno Lima.

O 'Estadão Notícias' está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência.

Apresentação: Gustavo Lopes,

Produção/Edição: Jefferson Perleberg e Gabriela Forte

Sonorização/Montagem: Moacir Biasi

Publicidade

 Foto: Tiago Queiroz/Estadão
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.