PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Baixe e ouça as principais notícias e análises

Dança das cadeiras: como o Censo pode mexer com a composição da Câmara

Por Gustavo Lopes Alves
Atualização:

Os números do Censo 2022 já divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelaram mudanças importantes na população de grandes cidades do País. Com o crescimento do número de habitantes em algumas capitais e a queda em outras, a discussão sobre uma possível mudança na composição da Câmara dos Deputados voltou a ganhar força. 

PUBLICIDADE

Tramita no Congresso projeto de lei de autoria do deputado Rafael Pezenti (MDB-SC) para alterar a quantidade de deputados federais que representam cada Estado. Santa Catarina, de onde é o autor do projeto, é um dos Estados em que a população cresceu e que, portanto, seria beneficiada pela medida. 

Pelo Censo 2022, sete Estados ganhariam mais cadeiras na Câmara, e outros sete perderiam representantes na Casa. As mudanças são justificadas na previsão legal de que a quantidade de deputados precisa ser determinada de acordo com o tamanho da população dos Estados brasileiros. 

A última atualização na composição da Casa aconteceu em 1993. Não houve mudança do tamanho das bancadas a partir dos dados dos Censos de 2000 e 2010. A nova proposta gera controvérsias e parlamentares têm posicionamentos bastante diferenciados. O podcast conversou com os deputados Rafael Pezenti (MDB-SC) e Lídice da Mata (PSB-BA) que têm visões antagônicas sobre o projeto. 

Além de ouvir os parlamentares, o 'Estadão Notícias' conversou sobre o assunto com o cientista político e diretor de projetos do Movimento Voto Consciente, Bruno Silva. 

Publicidade

O 'Estadão Notícias' está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência.Apresentação: Gustavo Lopes

Produção/Edição: Jefferson Perleberg, Gabriela Forte e Gabriel Amorim

Sonorização/Montagem: Moacir Biasi

 
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.