PUBLICIDADE

Governo britânico estuda corte de 80% de CO2 até 2050

O Reino Unido já se comprometeu a cortar as emissões em 60% dos níveis de 1990 até 2050

Por Associated Press
Atualização:

O primeiro-ministro do Reino Unido espera levar a nação á linha de frente da batalha contra o aquecimento global, pedindo, nesta segunda-feira, 19, novas metas ambiciosas para o corte de emissões de carbono. Em seu primeiro pronunciamento de substância sobre o aquecimento global desde que assumiu a chefia do governo, Gordon Brown disse que pedirá a um comitê de conselheiros que estude se o Reino Unido é capaz de realizar um corte de 80% das emissões até 2050. "A crise da mudança climática é produtos de muitas gerações, mas superá-la deve ser o grande projeto desta geração", disse ele. "Embora os países mais ricos tenham causado a mudança climática, são os mais pobres que já sofrem os piores efeitos", disse ele. Brown afirmou ainda que encorajará os aliados, incluindo os Estados Unidos, a assumir compromissos semelhantes. O governo britânico já se comprometeu a cortar as emissões em 60% dos níveis de 1990 até 2050, embora parlamentares já tenham advertido que o país provavelmente perderá a meta intermediária, de 20% até 2010. Qualquer acordo que venha a suceder o Protocolo de Kyoto - que definiu metas para a redução de emissões de nações industrializadas até 2012 - deve assumir o compromisso de conter a elevação da temperatura média da Terra em 2º C, disse Brown. O primeiro-ministro disse ainda que tem a esperança de ver construídas, no Reino Unido, as primeiras instalações de captura de carbono, processo que envolve retirar o gás da atmosfera e bombeá-lo, sob forma líquida, em rocha porosa no subsolo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.