Itu promove tradicional explosão do judas no domingo

PUBLICIDADE

Por José Maria Tomazela
1 min de leitura

A cidade de Itu, a 92 km de São Paulo, contraria a tradição e realiza no domingo, e não no sábado como em outros lugares, o castigo a Judas, o traidor de Jesus. Não se trata da costumeira malhação em que os bonecos são destruídos a pauladas. Como acontece há 130 anos, o boneco que representa o traidor vai explodir no ar, juntamente com o boneco de Satanás. Os organizadores calculam que o espetáculo deve atrair pelo menos 10 mil pessoas à Praça Padre Miguel, no centro histórico da cidade. A explosão acontecerá exatamente ao meio-dia, quando o relógio da torre da Igreja de Nossa Senhora da Candelária iniciar as 12 badaladas. O boneco de Judas, feito com papelão, cola e arame no tamanho de uma pessoa, e recheado com bombas, silvos e morteiros, será literalmente montado pelo boneco que representa o anjo mal, também cheio de explosivos. Quando os dois bonecos se juntam, a carga explosiva é detonada. A prefeitura preparou um esquema de segurança para manter a população afastada. Além de policiais, haverá ambulâncias no local para eventual socorro de urgência. No passado, houve casos de pessoas que foram atingidas pelas explosões e ficaram feridas. O costume começou em 1877 e, por conta dessa antiguidade, a tradição passou a figurar no RankBrasil, o Livro dos Recordes brasileiro, em 2006, como a mais antiga malhação do judas no País. O primeiro boneco recheado de bombas foi feito pelo português Joaquim Corneta. Depois, a família do fogueteiro Zico Gandra assumiu a incumbência de confeccionar os bonecos e preparar a explosão. Este ano, um antigo aprendiz de Gandra, Milton Veronessi, assume a direção do espetáculo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Notícias em alta | Brasil






Veja mais em brasil