Justiça de SP adia julgamento de Gil Rugai

PUBLICIDADE

Por Priscila Trindade
Atualização:

A Justiça de São Paulo adiou para março de 2012 o julgamento do ex-seminarista Gil Rugai, acusado de matar o pai, Luis Carlos Rugai, e a madrasta, Alessandra de Fátima Troitino, em 2004.O julgamento, previsto inicialmente para o próximo dia 12, foi adiado a pedido do Ministério Público, em decorrência do impedimento temporário de uma perita do Instituto de Criminalística (IC). A perita responsável pelo exame de DNA para confrontar amostras de sangue colhidas no local dos fatos disse que a análise ainda não foi realizada.Hoje, o juiz Emanuel Brandão Filho, do 5º Tribunal do Júri, disse em sua decisão que a perita designada sofreu acidente de trabalho às vésperas da realização da perícia agendada para o dia 11 de novembro e acabou hospitalizada.As vítimas foram assassinadas no dia 28 de março de 2004, no interior da casa onde moravam no bairro de Perdizes, na zona oeste da capital. De acordo com o Ministério Público, responsável pela denúncia, o estudante assassinou os dois após uma briga sobre a administração da empresa da família.O julgamento de Gil Rugai será realizado em 26 de março de 2012, a partir das 10 horas, no Plenário 10 do Fórum Criminal da Barra Funda, na zona oeste da capital paulista.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.