PUBLICIDADE

Militantes somalis reivindicam atentado a hotel em Mogadício

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Militantes islâmicos da Somália assumiram na quinta-feira a autoria de uma tripla explosão que matou pelo menos 11 pessoas num hotel de Mogadício. A milícia Al Shabaab, que combate as forças de paz africanas para tentar assumir o controle de territórios no sul e centro da Somália, disse que o alvo das bombas eram agentes de inteligência reunidos naquele momento no hotel Jazira. "Os apóstatas são os olhos e ouvidos dos invasores, e esses ataques servem como uma merecida punição por seu papel em guiar e assistir as forças invasoras na sua cruzada", disse nota assinada por Ali Mohamud Rage, porta-voz da Al Shabaab. O grupo disse ter matado mais de uma dúzia de pessoas no atentado da quarta-feira. O diretor de um serviço particular de ambulâncias disse que os paramédicos recuperaram pelo menos 11 corpos. O hotel Jazira é um dos lugares mais bem protegidos da capital somali, e o ataque intensifica as preocupações de que o país possa voltar à anarquia caso as recentes vitórias militares contra os rebeldes não sejam consolidadas. O mesmo local já havia sido atacado em setembro de 2012, quando o presidente Hassan Sheikh Mohamud concedia entrevista coletiva, dois dias depois da sua eleição indireta para o cargo. (Reportagem de Feisal Omar)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.