PUBLICIDADE

Ministério vai contratar 660 para enfrentar dengue no Rio

Estado fará reunião para definir como Forças Armadas deverão atuar no combate à doença

Por Clarissa Thomé
Atualização:

O Ministério da Saúde publica nesta terça-feira, 25, o anúncio de convocação para contratar 660 funcionários para reforçar o atendimento a pacientes com suspeita de dengue. O ministério quer contratar, em caráter temporário, clínicos, pediatras, enfermeiros e técnicos de enfermagem.   VEJA TAMBÉM  Especial - A ameaça da dengue Para governo, dengue cresce no Rio por falta de agentes Dengue atinge status de epidemia no Rio   O secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, também informou que todos os médicos que atuam em cargos burocráticos nos hospitais do Estado serão remanejados para as emergências. Outra ação anunciada, segundo Côrtes, é a abertura de cinco tendas de hidratação, para onde serão encaminhados pacientes com dengue que estejam com as plaquetas do sangue muito baixas - sinal da forma hemorrágica da doença.   "Faço um apelo à população. Apesar da demora no atendimento, aguarde. O paciente tem de ser atendido para que tenhamos condições de identificar as complicações da dengue e impedir novos óbitos", afirmou. Ele também pediu para que as pessoas continuem doando sangue, porque as plaquetas só duram cinco dias nos hemocentros. Côrtes participou nesta segunda-feira, 24, de uma reunião com secretários municipais de Saúde da Região Metropolitana do Rio e da Baixada Fluminense e com representantes das Forças Armadas e do Ministério da Saúde. O secretário volta a se reunir na quinta-feira com as Forças Armadas para definir como será a participação do Exército, da Marinha e da Aeronáutica no combate à doença.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.