PUBLICIDADE

Mulheres da Via Campesina ocupam empresa em PE

Por Angela Lacerda
Atualização:

Cerca de 500 mulheres da Via Campesina - 90% delas ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) - ocuparam na manhã de hoje a sede da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em Petrolina, a 780 quilômetros do Recife. A ocupação faz parte das atividades que marcam a Semana da Mulher. De acordo com Reginaldo Martins da Silva, da direção estadual do MST em Pernambuco, as mulheres irão deixar o local no início da tarde e farão uma marcha pelo centro da cidade, num percurso de 2,5 quilômetros. No final da tarde, elas retornam aos seus acampamentos e assentamentos - localizados nos municípios pernambucanos de Cabrobó, Salgueiro e Ouricuri e no município baiano de Juazeiro. As mulheres não fizeram nenhuma reivindicação à Codevasf. O ato denuncia o modelo de desenvolvimento adotado pelo governo federal, de estímulo ao agronegócio. Os sem-terra ocupam as áreas dos projetos Salitre, em Juazeiro (Bahia), e Pontal Sul, em Petrolina (Pernambuco), cujas terras se destinam, de acordo com o MST, aos projetos de grandes empresas. "Juntas, as áreas somam mais de 60 mil hectares e se destinam inclusive a plantio de cana-de-açúcar para produção de álcool", afirma Silva, que defende, ao lado das mulheres da Via Campesina, o assentamento de cinco mil trabalhadores rurais para produção de alimento através da agricultura familiar. Também participam do protesto mulheres da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.