PUBLICIDADE

Obama diz que ONU precisa agir contra brutalidade na Síria

Presidente dos EUA faz apelo ao Conselho de Segurança do órgão para que Assad deixe o poder

Por Caren Bohan
Atualização:

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, exigiu no sábado que o Conselho de Segurança da ONU tome providências contra o que chamou "brutalidade impiedosa" do presidente da Síria, Bashar al-Assad. Após ativistas relatarem que 200 pessoas foram mortas num bombardeio de tropas do governo na cidade de Homs, Obama divulgou um comunicado em que afirma que o ataque foi uma "agressão indescritível" e fez um apelo pela saída de Assad do poder. "Ontem o governo sírio matou centenas da cidadãos sírios, incluindo mulheres e crianças, em Homs, através de bombardeio e outros atos de violência indiscriminados, e forças sírias continuam a impedir que centenas de civis feridos busquem ajuda médica", disse Obama em nota. "Assad deve interromper agora essa campanha de mortes e crimes contra seu próprio povo. Ele deve se afastar e permitir uma transição democrática imediatamente", acrescentou. A tragédia em Homs foi o dia mais sangrento em 11 meses de violência e aumenta a pressão feita pela Liga Árabe e os EUA pela saída de Assad. O Conselho de Segurança da ONU está reunido neste sábado para votar uma resolução sobre a Síria.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.