PUBLICIDADE

Obama diz que precisa de novo mandato para concluir trabalho

Por LAURA MACINNIS
Atualização:

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse na quinta-feira na Califórnia que precisa de um novo mandato para concluir tarefas pendentes, como a reforma da legislação sobre imigração e o combate à mudança climática. Numa série de eventos de arrecadação eleitoral em San Francisco, o presidente, do Partido Democrata, admitiu que seus três primeiros anos no cargo foram difíceis e pediu aos seus partidários que reúnem energias e voltem a se mobilizar para renovar seu mandato. "Teremos de ser tão focados quando fomos em 2008", disse ele, brincando que não está "tão na moda" apoiá-lo agora como quando ele apareceu pela primeira vez como pré-candidato presidencial, mas observando também que a crise econômica amorteceu os entusiasmos. "Passamos por três anos duros, e então as pessoas querem esperança, mas elas estão desgastadas por muitas dificuldades", disse Obama a 70 pessoas que pagaram 35,8 mil cada uma para jantar com o presidente e ver uma apresentação do cantor de soul Al Green. Obama disse que suas prioridades para o segundo mandato incluem a implementação completa das reformas da saúde e do sistema financeiro, a continuidade do apoio à educação e à pesquisa científica, e avanços na produção de petróleo, gás e energia limpa nos EUA. Ele também citou temas que acabaram sendo desprezados no primeiro mandato, como o grande número de imigrantes clandestinos e o aquecimento global. "Ainda precisamos realizar a reforma da imigração, porque somos uma nação de imigrantes, e somos uma nação de leis", disse ele, acrescentando: "Vamos lidar com a mudança climática de forma séria. E vamos descobrir como pagar por tudo isso". Para Obama, os norte-americanos mais ricos - como o próprio presidente e sua plateia, nas palavras dele - "podem fazer um pouco mais para garantir que aquele garoto na esquina tenha uma chance como nós tivemos". A economia da Califórnia é a maior entre os Estados dos EUA, e, se fosse um país, seria o nono mais rico do mundo, à frente de nações como Índia, Canadá, Rússia e Espanha. Em ano eleitoral, Obama busca especialmente o apoio de Hollywood e do setor tecnológico. Ele deve arrecadar 8 milhões de dólares em seis eventos na Califórnia - o primeiro foi na quarta-feira à noite em Los Angeles -, mais dois nesta sexta-feira na região de Seattle. Na quinta-feira, cerca de cem manifestantes - de republicanos conservadores a militantes ambientalistas - se reuniram em frente ao local onde se realizava um dos eventos de arrecadação eleitoral. Alguns levavam cartazes com a frase: "Sem esperança nem mudança", parodiando o slogan obamista de 2008. Ray Sarakaitis, 71 anos, ativista do movimento conservador Tea Party, disse ter um só objetivo na eleição de 6 de novembro: "O que gostaríamos de ver é o fim do reinado de Obama e o fim do seu mandato", afirmou ele em frente ao local da recepção para 2.500 pessoas, com ingressos a partir de cem dólares. Horas antes, Obama já havia enfrentado protestos na passagem da sua comitiva pela localidade californiana de Corona del Mar. (Reportagem adicional de Malathi Nayak)

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.