PUBLICIDADE

ONU tira soldados do Haiti após denúncia de abusos

Cento e oito soldados do Sri Lanka deixarão a missão de paz liderada pelo Brasil.

Por Laura Trevelyan
Atualização:

A ONU decidu enviar de volta para o Sri Lanka 108 soldados do país que atuam na Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah, na sigla em francês), depois de ter recebido denúncias de que eles praticaram abusos sexuais no país caribenho. Os soldados foram acusados de usar os serviços de prostitutas haitianas, incluindo meninas menores de idade. As alegações contra os membros da Minustah, que é liderada pelo Brasil, surgiram há alguns meses e foram investigadas por um órgão da ONU, que concluiu que as denúncias tinham fundamento. Os soldados devem viajar de volta ao Sri Lanka neste sábado, e o governo cingalês será responsável por decidir que tipo de punição eles sofrerão. Este é o último de uma série de escândalos envolvendo alegações de abuso sexual contra membros de forças de paz da ONU. Neste ano, 800 soldados que enfrentavam esse tipo de acusação foram suspensos na Costa de Marfim. Em 2005, um relatório recomendou a criação de um fundo para ajudar as crianças filhas de soldados integrantes das missões de paz da ONU. A recomendação, porém, não foi adotada por todos os países-membros das Nações Unidas. A ONU mantém uma política de tolerância zero com alegações de crimes de natureza sexual contra soldados de forças de paz. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.